Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.564,44
    +1.852,44 (+1,57%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.399,80
    +71,60 (+0,15%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,25
    -0,38 (-0,58%)
     
  • OURO

    1.787,00
    +2,70 (+0,15%)
     
  • BTC-USD

    57.489,79
    +3.675,82 (+6,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.457,26
    +51,96 (+3,70%)
     
  • S&P500

    4.167,59
    +2,93 (+0,07%)
     
  • DOW JONES

    34.230,34
    +97,31 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.039,30
    +116,13 (+1,68%)
     
  • HANG SENG

    28.417,98
    -139,16 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.812,63
    -241,37 (-0,83%)
     
  • NASDAQ

    13.475,50
    -15,50 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4276
    -0,1117 (-1,71%)
     

Campanha pró-vacina do governo do Rio com homem usando máscara de cabeça para baixo repercute até no exterior

Natália Boere
·2 minuto de leitura

A campanha “O Rio abraça a vacina. O Rio abraça a vida”, feita pelo governo do estado para estimular a vacinação viralizou nas redes sociais. Nada muito digno de comemoração, no entanto... Em um dos anúncios, distribuído em mobiliários urbanos e busdoors, um homem usa a máscara de cabeça para baixo. Um prato cheio para críticas e jocosidades na internet.

A gafe foi apontada no perfil Contagem Coronavírus - Brasil no Twitter na noite deste sábado e, desde então, já tem 157 compartilhamentos, com comentários do tipo "pra ver a situação... Um ano de atraso e desse jeito", "a cara do governo do Rio", "que vergonha". Inclusive, de correspondentes de jornais do exterior, como o francês Le Monde e o inglês The Guardian.

O investidor americano Grant Lingel, há 11 anos no Brasil, foi um dos que fizeram piada da campanha no Twitter. Ele conta que está voltando para Nova York com sua mulher e o filho de 3 anos do casal justamente pela falta de seriedade das autoridades do país no enfrentamento à pandemia. Aos 38 anos, já tem vacina agendada para assim que chegar à terra natal, na semana que vem.

- A situação no Brasil só piora. Após um ano de pandemia, não tem ninguém para identificar esse erro e ensinar o certo para as pessoas. Meu país pisou na bola nos dez primeiros meses, mas pelo menos está melhorando. Aqui, não vejo esforços do governo federal para combater o coronavírus, o que é muito triste. Adoro o Brasil, é a minha casa agora. Mas vamos nos arriscar e pegar um avião neste momento porque aqui não temos mais qualidade de vida - lamenta Grant.

Segundo o blog do jornalista Rubem Berta, a campanha, feita pela agência de publicidade Propeg, lançada no dia 15 de março e veiculada até a última sexta-feira, custou aos cofres públicos R$ 13 milhões. Em sua conta no Twitter, a secretaria estadual de Saúde agradeceu "a observação"e pediu "desculpas" por não ter "percebido esse equívoco no uso da máscara na campanha #RioAbraçaVacina".