Mercado fechará em 3 h 35 min
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,66 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,39 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,46 (+0,42%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    29.451,67
    -996,27 (-3,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,77 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,56 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,19 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -40,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1528
    -0,0660 (-1,26%)
     

Caoa encerrará produção em Jacareí e deve demitir 600 trabalhadores

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 08.08.2013 - Painel do automóvel Cherry Tiggo. (Foto: Robson Ventura/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 08.08.2013 - Painel do automóvel Cherry Tiggo. (Foto: Robson Ventura/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Caoa Chery vai encerrar suas atividades em Jacareí (80 km de SP) e deve deixar ao menos 600 funcionários desempregados, segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, que informa que o anúncio foi feito nesta quinta-feira (5).

O encerramento das atividades está sendo debatido entre o sindicato e a empresa. A entidade tenta negociar com a companhia em busca de minimizar o impacto das demissões na região. Inaugurada em 2015, a fábrica da Cherry em Jacareí foi a primeira da montadora fora da China e produz os veículos Tiggo 3x e Arrizo 6 Pro.

Em nota, a Chery afirma que a unidade será remodelada. No entanto, confirma que haverá demissões para que possa fazer as readequações necessárias. "Atenta às demandas globais em relação à mobilidade sustentável, a montadora assume o compromisso com o Brasil e seus consumidores de eletrificar todos os modelos de seu portfólio até o final de 2023", diz.

Além da unidade de Jacareí, a Caoa tem uma outra fábrica, em Anápolis (GO), onde são montados modelos da Hyundai e Chery. A compra de 50,7% da Chery pela Caoa foi feita em 2017, por US$ 2 bilhões na época (cerca de R$ 10,06 bilhões na cotação atual).

Segundo a empresa, a produção será intensificada em Anápolis. A meta de produção de 60 mil unidades neste ano está mantida. Quanto aos funcionários, a montadora confirma as negociações com o sindicato e diz que pagará as verbas rescisórias e demais encargos legais.

"Em relação aos colaboradores da planta de Jacareí, a Caoa Chery está em negociação com os representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região para a definição de um pacote de indenização suplementar, além do regular pagamento das verbas rescisórias legais, seguindo o seu compromisso de respeito aos trabalhadores", informa a nota.

Quanto aos clientes, a Caoa informa que seguirá "prestando atendimento integral" a quem comprou modelos fabricados em Jacareí, mantendo assistência técnica, garantias, peças e serviços em mais de 140 concessionárias no país.

Pandemia afetou produção de veículos A pandemia afetou a produção das montadoras no Brasil, que têm se recuperado aos poucos. Em março deste ano, a Caoa Chery foi uma das que colocou parte dos funcionários da fábrica de Jacareí em regime de lay-off (interrupção temporária dos contratos de trabalho). Ao todo, a medida atingiu 450 dos cerca de 700 funcionários da época.

Segundo dados do setor, as vendas de veículos leves e pesados em abril mostraram sinais de melhora com a comercialização de 147.256 unidades no último mês, alta de 0,3% em relação a março, que teve dois dias úteis a mais. A média diária de emplacamentos passou de 6.991 para 7.750 unidades/dia no período.

Fechamento de montadora Nos últimos anos, com a crise econômica, o fechamento de unidades da Ford marcou o fim de uma era de produção. Em 2019, a montadora anunciou o encerramento de suas atividades na unidade de São Bernardo do Campo (ABC), encerrando uma era de produção na região. Um ano depois, foi a vez dos funcionários de Taubaté receberam a notícia do fim das atividades e, em 2021, a montadora anunciou o encerramento de sua produção no Brasil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos