Mercado fechará em 1 h 54 min

Caoa desistiu de unidade da Ford e investirá em fábrica em SP, diz Doria

Carolina Freitas

Segundo o governador de São Paulo, outros dois grupos interessados avaliam a compra da planta desativada pela montadora americana no ABC O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou hoje que a Caoa desistiu de comprar a fábrica da Ford em São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo. Segundo o governador, o grupo decidiu investir na implantação de uma nova fábrica de automóveis chineses no Estado, que será anunciado ainda em 2020. Sobre o negócio da Ford, Doria disse que no momento outros dois possíveis compradores avaliam a planta de São Bernardo.

"Nós não desistimos do tema da Ford ainda. Há um entendimento novo com dois fabricantes chineses, entendimentos que estão em curso. Não temos propagado até para que eles possam seguir com tranquilidade, sem a pressão do tempo", afirmou o governador paulista depois de participar da abertura da Couromoda, na zona norte da capital.

Ford confirma desistência e diz negociar com outros grupos

"Caoa não foi possível viabilizar neste caso específico, mas a Caoa deve anunciar agora em 2020 um novo e forte investimento com um fabricante chinês na indústria automobilística aqui em São Paulo."

Doria afirmou que é mais fácil para o governo incentivar a implantação de uma fábrica do que vender uma já instalada, como é o caso da Ford. "Caoa acabou não consolidando a compra da fábrica da Ford exatamente porque o grande investidor chinês queria um espaço maior para produção automobilística", disse.

Fábrica da Ford em São Bernardo do Campo (SP) foi desativada

Davilym Dourado/Valor

A Ford anunciou o encerramento da linha de montagem de São Bernardo do Campo, no começo do ano passado. O local produzia caminhões e o modelo Fiesta. A unidade foi desativada em outubro, depois de servir por 62 anos a empresa americana.

O grupo Caoa chegou a anunciar um acordo de intenção de compra da fábrica da Ford em setembro, num evento no Palácio dos Banderiantes, sede do governo estadual. Um dos entraves para a realização dos negócios foi a dificuldade para conseguir um empréstimo no BNDES.

Em dezembro, ao participar de um evento de balanço de resultados no ano, o empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade, fundador do grupo, admitiu que a possibilidade de o negócio se realizar era remota, ainda que tenha afirmado que não desistiria da compra.

Na ocasião, ele também adiantou estar em negociações com grupos chineses para ampliar a produção de veículos no Brasil. A Caoa já conta com uma fábrica da marca coreana Hyundai, em Anápolis (GO), e da chinesa Chery em Jacareí (SP). O grupo comprou, em 2018, 50% da operação da chinesa no Brasil.

O empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade chegou a assinar um termo de intenção de compra da fábrica da Ford

Silvia Zamboni/Valor