Mercado fechará em 2 h 51 min

Caoa desiste de fábrica da Ford, diz Doria

ARTHUR CAGLIARI
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 17.10.2018: O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), conversa com jornalistas. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador de São Paulo, João Doria, disse nesta segunda-feira (13) que a Caoa desistiu das negociações com a Ford pela unidade da montadora americana no município de São Bernardo do Campo (SP).

A informação foi divulgada por Doria na manhã desta segunda em entrevista coletiva durante o evento Couromoda, da indústria calçadista, na capital paulista.

"Nós não desistimos do tema da Ford ainda. Há um entendimento novo com dois fabricantes chineses. Não temos propagado até para que eles possam seguir com tranquilidade, sem a pressão do tempo. Caoa não foi possível neste caso específico", afirmou.

A desistência, segundo Doria, teria ocorrido porque a companhia do empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade estaria procurando um espaço maior para construir, junto com investimentos chineses, uma nova fábrica em São Paulo.

"A Caoa acabou não consolidando a sua compra da unidade da Ford exatamente porque o grande investidor chinês queria uma indústria fisicamente maior para a produção automobilística."

Procurada, a Caoa disse apenas que as negociações devem seguir o encaminhamento informado pelo governador, e que há estudo de uma nova fábrica.

A montadora americana, por sua vez, confirmou em nota a declaração do governador sobre a venda de sua fábrica.

"A Ford confirma que as negociações com a Caoa não progrediram. No entanto, há potenciais compradores interessados e engajados em conversações com a Ford em relação às instalações de São Bernardo do Campo."

A reorganização mundial da Ford resultou na saída da empresa da produção de caminhões na América Latina, medida anunciada em fevereiro do ano passado.

No início de setembro de 2019, o governador João Doria organizou uma coletiva que reuniu dirigentes da Ford e do grupo Caoa. Contudo, apenas diligências prévias na fábrica haviam sido confirmadas, o que mostrou a indefinição das negociações.

Reportagem do jornal Folha de S.Paulo de setembro do ano passado apontou a dificuldade da companhia em obter financiamento para a aquisição do espaço como um entrave para o acerto do acordo.

O nome da BYD chegou a aparecer como uma das interessadas pelo espaço no ABC após as negociações da Ford com o grupo Caoa esfriarem.