Mercado fechará em 5 h 42 min
  • BOVESPA

    113.268,29
    -244,09 (-0,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.751,19
    -50,49 (-0,10%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,37
    +0,84 (+0,97%)
     
  • OURO

    1.783,60
    -6,10 (-0,34%)
     
  • BTC-USD

    23.414,51
    -427,29 (-1,79%)
     
  • CMC Crypto 200

    555,45
    -17,37 (-3,03%)
     
  • S&P500

    4.271,13
    -34,07 (-0,79%)
     
  • DOW JONES

    33.969,08
    -182,93 (-0,54%)
     
  • FTSE

    7.509,76
    -26,30 (-0,35%)
     
  • HANG SENG

    19.922,45
    +91,93 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    29.222,77
    +353,86 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    13.535,75
    -122,50 (-0,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2748
    +0,0430 (+0,82%)
     

Candidatos estão usando deepfake para entrevistas virtuais de emprego

O deepfake é um golpe de difícil identificação (Getty Image)
O deepfake é um golpe de difícil identificação (Getty Image)
  • O FBI afirmou que as pessoas estão utilizando deepfakes para enganar recrutadores

  • Um entrevistador percebeu que seu entrevistado tossiu, mas os lábios não se mexeram

  • As ferramentas virtuais produzem vídeos cada vez mais realistas

Parece que a possibilidade de fazer entrevistas virtuais está atiçando a criatividade dos "espertinhos" que entendem de tecnologia. Nesta semana, o FBI afirmou que as pessoas estão utilizando deepfakes para enganar recrutadores em entrevistas de emprego remoto. O serviço norte-americano divulgou que cada vez mais empresas têm reportados casos desse tipo.

Os candidatos utilizam vídeos, vozes e até mesmo a identidade de outras pessoas para tentarem vagas nas áreas de TI, banco de dados, programação e software. Em um caso recente, o entrevistador percebeu que seu entrevistado tossiu, mas os lábios não se mexeram.

Durante a investigação, o FBI constatou um padrão nas ocorrências. Grande parte das vagas eram para setores que têm acesso a bancos de dados e recursos financeiros, o que poderia ocasionar em golpes, fraudes ou roubos.

Esse é um golpe de difícil identificação, uma vez que as ferramentas virtuais produzem vídeos cada vez mais realistas. Alguns pontos de atenção podem levantar suspeitas, como falta de sincronia entre os movimentos labiais.

Isso porque o deepfake recorre à Inteligência Artificial e tem a capacidade de usar com rostos de pessoas existentes, como também gerar aleatoriamente através de um conjunto de faces para criar uma pessoa única.

Embora a tecnologia tenha avançado bastante , algumas das tentativas mais amadoras de deepfakes geralmente resultam em vozes falsas que mal combinam com a boca dos falantes.

Já inteligência artificial destinada a detectar vídeos alterados pode variar em precisão de 30 a 97%, de acordo com um relatório recente de pesquisadores da Carnegie Mellon University.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos