Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.227,09
    +94,56 (+0,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.412,47
    +211,88 (+0,50%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,04
    -0,67 (-1,47%)
     
  • OURO

    1.815,50
    +4,30 (+0,24%)
     
  • BTC-USD

    17.301,18
    +226,81 (+1,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    338,93
    -31,58 (-8,52%)
     
  • S&P500

    3.629,65
    -5,76 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    29.872,47
    -173,77 (-0,58%)
     
  • FTSE

    6.362,93
    -28,16 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    26.819,45
    +149,70 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.549,11
    +11,80 (+0,04%)
     
  • NASDAQ

    12.155,50
    +3,25 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3417
    +0,0018 (+0,03%)
     

Canabidiol impede progressão da epilepsia, segundo estudo da USP

Nathan Vieira
·2 minuto de leitura

Na última semana, a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP divulgou uma pesquisa voltada à epilepsia, feita com ratos geneticamente selecionados para apresentarem os sintomas. O estudo realizado mostrou que o canabidiol (CBD, substância derivada da Cannabis), conseguiu evitar a progressão da doença.

As crises que consistem a epilepsia são manifestações de um “mal funcionamento” em um ou mais conjuntos de neurônios no cérebro, e segundo esse estudo, o tratamento impediu o recrutamento de novas áreas cerebrais no processo que dá origem à epilepsia em novas partes do cérebro. Um dos pesquisadores responsáveis, William Lopes, contou ao Jornal da USP que o modelo genético utilizado foi a linhagem Wistar Audiogenic Rat (WAR), animais que vêm sendo selecionados pela sua maior predisposição às crises epilépticas.

“Quando expostos a estímulos agudos, os animais apresentam crises controladas pelo tronco encefálico, chamadas tônico-clônicas e, quando expostos a estímulos crônicos, manifestam as crises límbicas, aquelas mais severas e semelhantes às crises epilépticas do lobo temporal que são vistas em pacientes com a doença”, explicou o pesquisador.

Canabidiol impede progressão da epilepsia, segundo estudo da USP (Imagem: Pixabay)
Canabidiol impede progressão da epilepsia, segundo estudo da USP (Imagem: Pixabay)

No estudo, o tratamento com canabidiol foi capaz de prevenir o surgimento das crises límbicas, e quando aconteciam, essas crises eram menos intensas. “O tratamento crônico conseguiu frear a progressão da doença, impedindo o recrutamento de novas áreas do cérebro e bloqueando as crises límbicas”, concluiu o pesquisador.

Outro aspecto presente no estudo é o fato de que o modelo conseguiu imitar, mesmo que parcialmente, a complexidade da situação dos casos clínicos. “Além da susceptibilidade às crises epilépticas, os animais da linhagem WAR apresentam outras doenças neuropsiquiátricas, como aumento de ansiedade e características de comportamentos depressivos, entre outros. Há demonstrações claras de que pessoas com epilepsia também apresentam outros transtornos neuropsiquiátricos associados”, explicou o professor Norberto Garcia-Cairasco, orientador por trás do projeto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: