Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    58.673,12
    +1.696,41 (+2,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Campus Party Brasil terá nova edição digital em 2021

Felipe Demartini
·2 minuto de leitura

A Campus Party confirmou nesta sexta-feira (9) que, mais uma vez, focará no online para realizar sua edição de 2021. O evento digital foi anunciado para os dias 22 a 24 de julho, de forma totalmente gratuita e com foco no streaming, com a transmissão de palestras, apresentações e hackatons, além de demonstração de soluções e outras atividades online.

Entre os primeiros convidados confirmados estão Luís Justo, CEO do Rock in Rio; e Caito Maia, fundador da Chilli Beans. Como sempre, a Campus Party Brasil mostra seu foco amplo, que vai desde a tecnologia até a inovação e startups, incluindo também nomes como Dado Schneider, criador da marca Claro; Maitê Lourenço, CEO e fundadora do BlackRocks Startups; Eva Lazarin, CEO e fundadora da Benkyou; e Ricardo Cappra, cientista-chefe de dados do Cappra Lab.

Um dos destaques será o demo day, que neste ano será promovido pela BlackRocks, startup de incentivo a empreendedores negros. O foco do evento será o desenvolvimento de soluções rápidas e certeiras para problemáticas da área de tecnologia, enquanto os hackatons focarão em cidadania digital, com soluções criativas para vencer desafios em cidades cada vez mais conectadas.

As apresentações, como sempre, se dividirão entre áreas como mercado de trabalho, economia, energia limpa, ciência, saúde, educação, tecnologia para governos, entretenimento e cultura digital. Serão seis palcos digitais com transmissão ao vivo pela internet, enquanto outras atividades incluirão karaokês online, uma rádio transmitida do evento, quizzes, escape rooms e viagens virtuais.

O foco, de acordo com Tonico Novaes, CEO e sócio da Campus Party Brasil, permanece sendo multiplataforma, tornando mais abrangentes as inovações e ideias apresentadas no evento. Ele também enaltece o foco em minorias voltadas a segmentos como games, desenvolvimento de software, empreendedorismo, ciência de dados e criatividade.

As inscrições para o evento já estão abertas por meio do site oficial da Campus Party Brasil. Neste ano, o evento inicia parceria com a Gouvêa Ecosystem, que adquiriu a licença para realização do acontecimento e que também espera contribuir para acelerar a transformação digital.

Em 2020, já devido aos reflexos da pandemia, a Campus Party Brasil adotou pela primeira vez o formato online. De acordo com os dados do evento, foram mais de 1,4 milhão de pessoas conectadas às apresentações e 2,6 mil palestrantes de 120 países. A edição nacional se uniu ao evento global, também realizado pela internet, e contou com participações do criador da internet, Tim Berners-Lee, Edward Snowden, ex-programador da CIA e responsável por detonar um dos maiores escândalos de vigilância ostensiva de nossa história, e do ex-vice-presidente americano Al Gore.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: