Mercado fechado

Campos Neto reúne-se com Toffoli por “solução que atenda a todos”

Isadora Peron

Na quarta-feira, o Supremo julga a suspensão de investigações com dados detalhados da Receita e do antigo Coaf O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta segunda-feira que o governo busca uma “solução que atenda a todos” em relação ao julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a paralisação das investigações com dados da Receita Federal e da Unidade de Inteligência Financeira (UIF), antigo Coaf.

“Estamos tentando buscar uma solução que atenda a todos em relação ao que vai ser votado na quarta-feira [pelo STF]”, disse Campos Neto.

André Coelho/Bloomberg

A declaração foi dada após ele se reunir com o presidente do Supremo, Dias Toffoli, responsável por deferir liminar, em julho, paralisando todas as investigações usaram dados detalhados desses órgãos de controle sem prévia autorização judicial. A decisão atendeu a um pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Também participaram do encontro o advogado-geral da União, André Mendonça, e o procurador-geral da República, Augusto Aras.

Segundo um interlocutor do governo, há um esforço para que a decisão de Toffoli seja modulada durante o julgamento de quarta-feira, atendendo as exigências do Grupo de Ação Financeira contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo (Gafi) e dos órgãos de persecução penal.

Há também uma avaliação de que falta conhecimento sobre como funciona o antigo Coaf e, portanto, há uma tentativa de explicar como o órgão atua aos ministros.