Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.066,21
    -3.955,32 (-7,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Campos Neto mostra preocupação moderada com a inflação.

·2 min de leitura

Entre os pontos citados, o presidente do BC mencionou a inflação, crescimento e a situação fiscal do país.

Ao que tudo indica, Campos Neto está ciente das expectativas ruins para a inflação e para a economia brasileira, porém, ele não enxerga que o cenário seja assim tão perverso em 2022.

Segundo expectativas do governo federal, o PIB tem grandes chances de bater crescimento de 2% em 2022, sendo que no último boletim Focus, as expectativas já estão abaixo de 1%.

Campos Neto ainda acredita que a PEC dos Precatórios é algo importante e que no atual momento, é preciso.

Com relação à inflação foi destacado a necessidade de controlá-la, mas com cautela. Devido aos impactos da COVID-19 na economia mundial, o juro precisa ser mais bem dosado para não provocar uma piora do cenário.

Interpretações da fala do presidente do BC.

O discurso foi polido, mas há alguns sinais importantes a serem avaliados. Em outro momento, Campos Neto já reconheceu que alguns núcleos da inflação estão se mostrando mais resistentes, coisa que sugere mais dificuldades em conseguir controlá-los, porém, o aumento do juro deverá ser controlado, sem que haja força desproporcional no aumento da Selic.

Isso significa que a inflação pode acabar ultrapassando o centro da meta em 2022. Caso a alta da Selic se mantenha e a inflação continue se mostrando persistente, é possível que o BC não consiga deixar o IPCA dentro dos 5% (limite para a inflação em 2022).

Lembrando que as expectativas para o IPCA em 2022 já estão em 4,96%. Como até o momento, a taxa de juro está abaixo do IPCA dos últimos 12 meses, é possível que tal diferença permaneça em 2022.

Em uma situação assim, é possível que os juros longos comecem a subir mais, caminhando para um cenário similar ao de 2015 e 2016.

Nesse período, títulos prefixados do Tesouro Direto chegaram a pagar mais de 14% ao ano, e o Tesouro IPCA alcançou rendimentos superiores a 6% mais IPCA.

Será que o PIB não vai crescer 2% em 2022?

As expectativas para o PIB em 2021 precisam surpreender para considerar um PIB maior em 2022. Sem um PIB mais robusto em 2021, as coisas podem ficar mais difíceis em 2022.

Em uma situação onde as expectativas econômicas sejam superadas, é provável que a bolsa volte a subir com vigor. Se as coisas não melhorarem, ativos como o dólar e o ouro podem ajudar na defesa da carteira. Inclusive títulos de renda fixa.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos