Mercado fechará em 4 h 36 min
  • BOVESPA

    121.902,89
    -612,85 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.966,35
    +96,87 (+0,19%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,37
    -0,89 (-1,25%)
     
  • OURO

    1.812,00
    -10,20 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    38.095,89
    -1.634,10 (-4,11%)
     
  • CMC Crypto 200

    930,19
    -13,25 (-1,40%)
     
  • S&P500

    4.384,66
    -2,50 (-0,06%)
     
  • DOW JONES

    34.892,77
    +54,61 (+0,16%)
     
  • FTSE

    7.113,50
    +31,78 (+0,45%)
     
  • HANG SENG

    26.194,82
    -40,98 (-0,16%)
     
  • NIKKEI

    27.641,83
    -139,19 (-0,50%)
     
  • NASDAQ

    14.877,75
    -75,00 (-0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2165
    +0,0724 (+1,18%)
     

Campos Neto está de acordo com mudanças em projeto sobre autonomia da entidade, diz senador

·1 minuto de leitura
.

BRASÍLIA (Reuters) - O autor do projeto que confere autonomia ao Banco Central, senador Plínio Valério (PSDB-AM), afirmou nesta quinta-feira que o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, está de acordo com as mudanças promovidas no texto original.

Segundo o senador, Campos Neto considera, por exemplo, que a introdução de fomento ao pleno emprego nos objetivos da instituição e a perda do status de ministro não afetam a espinha dorsal do projeto, que prevê a blindagem do presidente e diretores do banco contra ingerências políticas. Também tem a intenção de afastar risco de descontinuidade da política monetária devido à troca de comando na Presidência da República.

"(Campos Neto) me mostrou que essas mudanças não prejudicam a filosofia do meu projeto", disse, acrescentando que a visita do presidente do BC foi uma cortesia e que não se tratou de articulação política.

O parlamentar disse que para Campos Neto, a introdução do tema "emprego" no rol de missões do BC "não tem problema de, na medida do possível, tratar disso também". Sobre a mudança no status, recebeu do presidente do banco a explicação segundo a qual a autonomia da instituição impede a subordinação ao governo.

Embora não tenham conversado sobre a data de votação, Valério disse ter a "esperança" e a "certeza" que o projeto possa ser votado na próxima terça-feira no plenário do Senado.

"Eu acho que quanto à votação, está certo", disse sobre o projeto, que tem como relator o senador Telmário Mota (PROS-RR).

O senador comentou ainda sobre outra proposta com votação prevista para a terça-feira, a que trata de depósitos remunerados. Segundo ele, há problemas na negociação do tema, envolvendo principalmente a bancada do PT.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos