Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.811,40
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    17.007,01
    +30,83 (+0,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Campos Neto diz que irá trabalhar com novo governo da melhor forma possível

Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto

MADRI (Reuters) - O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse nesta quinta-feira que irá trabalhar com o próximo governo "da melhor forma possível", dando prosseguimento à agenda de combate à inflação e da promoção da inclusão e da competição no sistema financeiro.

Campos Neto participou de conferência organizada pelo banco Santander em Madri, onde afirmou ainda que o Brasil está "muito dividido" depois do resultado da eleição presidencial de domingo, em que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) derrotou o presidente Jair Bolsonaro (PL) por margem muito pequena.

“No caso do Brasil, é muito perto de 50-50", disse Campos Neto ao ser questionado sobre a polarização. "Então obviamente você vai ter muitas pessoas que vão estar descontentes, mas essa é a beleza da democracia. Agora temos que trabalhar todos juntos para garantir que vamos crescer, combater a inflação. E temos um Banco Central independente que vai trabalhar com o governo para isso."

Ele ponderou que em muitos casos no mundo a polarização estimula políticas que não são as ideais para o aumento da produtividade.

Falando sobre a divisão política no Brasil, Campos Neto destacou, ainda, que candidatos identificados com "valores que estão atrelados ao atual governo" tiveram bons desempenhos na eleição a Câmara e Senado.

Sobre inflação, ele afirmou que o fato de as economias avançadas estarem agora focadas no combate à alta dos preços é positivo para o Brasil. "Você cria desinflação e a importação de inflação para o Brasil diminui, então o elemento da inflação global diminui para nós.”

(Reportagem de David Latona; texto de Isabel Versiani)