Mercado abrirá em 7 h 34 min
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,30 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,36 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,04
    -2,24 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.750,20
    -3,80 (-0,22%)
     
  • BTC-USD

    16.193,98
    -340,79 (-2,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,76
    -2,90 (-0,76%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,93 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.225,41
    -348,17 (-1,98%)
     
  • NIKKEI

    28.152,11
    -130,92 (-0,46%)
     
  • NASDAQ

    11.688,00
    -94,75 (-0,80%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6071
    -0,0173 (-0,31%)
     

Campos Neto desmente Bolsonaro: "Pix é uma conquista do Banco Central”

Campos Neto desmente Bolsonaro:
Campos Neto desmente Bolsonaro: "O Pix é uma conquista do Banco Central”
  • Pix: Bolsonaro tem afirmado que a modalidade de transferência é de autoria de seu governo;

  • De acordo com Campos Neto, o sistema de pagamentos já tinha estudos, antes mesmo de ele assumir;

  • o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central já repudiou “uso eleitoral do Pix”

Em declaração dada durante uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira (29), o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, desmentiu o presidente Jair Bolsonaro (PL) e afirmou que o Pix é uma conquista dos funcionários do BC. Em campanha eleitoral para a presidência da república, Bolsonaro tem afirmado que a modalidade de transferência é de autoria de seu governo.

De acordo com Campos Neto, o sistema de pagamentos já tinha estudos em andamento em fevereiro de 2019, antes mesmo de ele assumir o cargo. Já o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) afirma que a medida foi pensada em 2018, durante o governo Temer, chegando até a emitir uma nota de repúdio pelo “uso eleitoral do Pix” por parte de Bolsonaro.

"Tinha ocorrido um grupo de trabalho sobre pagamentos instantâneo antes da minha chegada. Tinha sido feito um resumo sobre o que o grupo de trabalho tinha concluído e o grupo de trabalho tinha concluído que tinha benefício de ter um programa instantâneo bem feito, que isso geraria melhora na intermediação financeira. A gente começou a falar da agenda de inovação e em algum momento entendeu que os pagamentos instantâneos deveriam ser prioridade", afirmou Campos Neto.

Mesmo contestado publicamente, Bolsonaro segue tentando surfar na onda do Pix para alavancar sua popularidade. Na última propaganda eleitoral do ano, nesta quinta-feira (29), o candidato do PL afirmou que o sistema de pagamentos foi uma criação de seu governo. Na realidade, o Pix foi criado em 2018, mas foi lançado apenas em outubro de 2020.

Contudo, Campos Neto reconheceu o mérito da equipe do Banco Central que agilizou a implementação do Pix durante a pandemia.

"Nas primeiras reuniões, o prazo para o projeto Pix era 2023. A gente acelerou, trabalhou durante a pandemia, a equipe do Banco Central trabalhou dia e noite durante a pandemia para fazer o Pix funcionar. A gente tinha o desafio de fazer em novembro de 2020", disse.

"O Pix é uma conquista do Banco Central, dos funcionários do BC, e o Pix tá só no começo. Tem muito mais coisa para acontecer. Somente vendo o Pix funcionando, você não enxerga que por baixo dessa estrutura que a gente tá vendo hoje tem muito mais coisa para aparecer. O Pix vai continuar existindo quando eu não estiver aqui. O Pix não foi um projeto meu, é um projeto do Banco Central", concluiu.