Mercado fechará em 3 h 30 min
  • BOVESPA

    113.791,19
    -1.271,35 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,50
    -0,11 (-0,15%)
     
  • OURO

    1.754,50
    -40,30 (-2,25%)
     
  • BTC-USD

    48.002,30
    -259,42 (-0,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.233,40
    +0,11 (+0,01%)
     
  • S&P500

    4.459,43
    -21,27 (-0,47%)
     
  • DOW JONES

    34.680,73
    -133,66 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.027,48
    +10,99 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.667,85
    -365,36 (-1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.323,34
    -188,37 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.438,00
    -66,00 (-0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1827
    -0,0133 (-0,21%)
     

Caminhoneiros continuam protestos e fazem bloqueios em 15 estados

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* Santos, , Brasil, 06-04-2015 15h59: Caminhoneiros fazem fila na  Via Anchieta (altura do km 38) sentido  Santos.  (Foto  Eduardo Knapp/Folhapress)
*ARQUIVO* Santos, , Brasil, 06-04-2015 15h59: Caminhoneiros fazem fila na Via Anchieta (altura do km 38) sentido Santos. (Foto Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Caminhoneiros continuam as paralisações em rodovias pelo país e fazem bloqueios em ao menos 15 estados nesta quinta-feira (9). Também houve redução de 10% nas ocorrências de interrupções nas estradas em relação ao dia anterior.

Os protestos vieram um dia após os atos de raiz golpista convocados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Não há apoio formal de entidades da categoria, e os motoristas são alinhados politicamente ao governo ou ligados ao agronegócio.

De acordo com o Ministério da Infraestutura, os caminhoneiros param rodovias em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia, Maranhão, Roraima, Pernambuco e Pará.

Às 8h30, corredores logísticos que são considerados essenciais para o escoamento de cargas, como BR-040 em Minas Gerais, BR-116 e BR-040 no Rio de Janeiro, BR-101 no Espírito Santo, BR-376 no Paraná e BR-153 em Goiás foram liberadas pela Polícia Rodoviária Federal.

A pasta ainda inforam que não há mais pontos de interdição de pistas na malha rodoviária federal, salvo protesto pela causa indígena na BR-174 em Roraima.

Em São Paulo, caminhoneiros bloqueiam a Dutra na entrada de São Paulo, e a Régis Bittencourt registrou paralisação até às 9h15.

Na noite de quarta, o presidente Jair Bolsonaro pediu a aliados que dialoguem com a categoria para liberar as rodovias, e mandou um áudio dizendo que interrupção do trânsito prejudica a economia.

"Fala para os caminhoneiros aí que [eles] são nossos aliados, mas esses bloqueios aí atrapalham a nossa economia. Isso provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo, em especial os mais pobres. Então, dá um toque nos caras aí, se for possível, para liberar, tá ok? Para a gente seguir a normalidade", diz Bolsonaro.

Aliados do presidente temem que as manifestações prejudiquem o governo caso os efeitos econômicos da paralisação se espalhem. Em algumas cidades, já há relatos de falta de combustíveis.

Os bloqueios começaram na quarta-feira (8) de manhã com focos em Santa Catarina, Paraná e Espírito Santo, e expandiu para 16 estados até a madrugada de quinta. Os caminhoneiros dizem que a manifestação acontecem até a meia noite de hoje.

Na noite de quarta, um grupo chegou a bloquear o quilômetro 148 da rodovia Anhanguera, no sentido da capital paulista, em Limeira (SP). As vias foram liberadas na manhã desta quinta.

Em Santa Catarina, a PRF comunicou até às 6h30, haviam bloqueio em 18 pontos, atingindo praticamente todas as regiões do estado. O número caiu para 13 por volta das 9h50. Segundo o Sindipetro-SC (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina), a distribuição de combustíveis continua sendo afetada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos