Mercado fechado

Caminhoneiros acirram críticas a Petrobras por ameaça de aumento nos combustíveis

Eraldo Peres/AP

RESUMO DA NOTÍCIA

  • As conversas de caminhoneiros foram monopolizadas, no final dessa semana, pela ameaça de aumento do preço dos combustíveis, em razão do conflito dos EUA com o Irã.

  • Lideranças da categoria acionaram ministros e querem levar as queixas diretamente ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No alvo deles, está a política de reajustes da Petrobras.

As conversas de caminhoneiros foram monopolizadas, no final dessa semana, pela ameaça de aumento do preço dos combustíveis, em razão do conflito dos EUA com o Irã.

Segundo a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, lideranças da categoria acionaram ministros e querem levar as queixas diretamente ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No alvo deles, está a política de reajustes da Petrobras.

Leia mais

Para o setor, a avaliação é a de que medidas como a tentativa de retirar os radares das estradas não aliviam a categoria, e o problema de fundo, a alta do diesel nas bombas, seguiu a pleno vapor durante o atual governo.

De acordo com a coluna, foram procurados os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) e Osmar Terra (Cidadania). A reclamação é que o preço já está alto e qualquer reajuste extra, mesmo que em percentual pequeno, pode entornar o caldo com a categoria.

Para Dedeco, uma das lideranças da categoria no Sul, Bolsonaro perdeu a coragem que dizia ter na campanha eleitoral. “O preço do combustível não pode acompanhar o dólar”, afirma.

Mobilizador dos caminhoneiros no Centro-Oeste, Chorão afirma que o lucro da Petrobras “é exorbitante” e que a briga contra a política de reajustes da empresa ganhará tração nos próximos dias, com o apoio de motoristas de aplicativos.