Mercado fechado

Calvin Klein recebe convidados VIP com passarela de pipocas

Por Thomas URBAIN, Jennie MATTHEW
1 / 2
Raf Simons saúda o público no desfile da Calvin Klein realizado em uma passarela de pipocas

Convidados VIP como Nicole Kidman e Lupita Nyong'o se espremeram na primeira fila do desfile da Calvin Klein nesta terça-feira (14), pisando em uma passarela de pipocas para observar a coleção de Raf Simons, inspirada na essência dos Estados Unidos.

O estilista belga da icônica marca americana, em seu segundo ano na grife, foi um dos maiores sucessos desta Semana de Moda de Nova York, que sofre com uma crise de identidade e apresenta uma agenda reduzida.

Ruby Sterling foi responsável pela passarela novamente. Os galpões, enfeitados com obras de Andy Warhol, evocaram o espírito dos conquistadores americanos em sua viagem ao Oeste, com o chão repleto de pipocas até a altura do tornozelo.

A modelo do momento, Kaia Gerber, de 16 anos, atravessou a passarela, observada pelos pais orgulhosos - Cindy Crawford e Rande Gerber.

Simons disse que a coleção é uma evolução de seu olhar sobre os Estados Unidos, desta vez com referências ao descobrimento, à corrida espacial dos anos 60 e à era da informação no século 21. Para ele, suas criações tratam da liberdade e da democracia.

As roupas eram simples, com saias longas e roupas íntimas amplas. Gorros inspirados nas hijabs protegiam o cabelo e o pescoço das modelos, em alguns casos usando também túnicas.

Houve também uma onda que remeteu aos bombeiros, com casacos e calças laranjas, listras florescentes nas jaquetas, botas até em cima do joelho em preto brilhante e branco e suéteres extra grandes.

As peças também acenaram aos Estados Unidos, com colchas de retalhos e flanelas escocesas. Tudo foi muito original, mas pouco usável.

- Romance retorcido na Coach -

A atriz e cantora Selena Gómez, atual rosto da Coach, foi convidada de honra na primeira fila. Ela usou um casaco de couro preto e um vestido longo e florido, capturando o espírito romântico desta coleção gótica, entre o campo e a cidade.

Embora o "romance obscuro, retorcido" tenha sido um de seus temas, Selena não deu sinais de suas idas e vindas com o cantor Justin Bieber, com quem voltou a namorar.

As modelos desfilaram em uma espécie de bosque, na penumbra, com clima de filme de terror composto pelas nuvens de gelo seco no fim da passarela, folhas secas crepitando sob os pés e troncos de árvores retorcidos.

Foi uma combinação do gótico - a paixão por usar preto dos pés à cabeça dos adolescentes rebeldes ingleses dos anos 90 - com o sobrenatural. O estilo caubói do sudoeste americano se justapôs ao frescor da alfaiataria de Nova York.

Houve vestidos floridos longos, transparências, preto e laranja e muito couro: jaquetas de estilo caubói, com tachinhas, mochilas e botas até os joelhos.

A marca de luxo, fundada em 1941 como ateliê familiar em Nova York, vive um bom momento sob a direção criativa do britânico Stuart Vevers, nomeado em 2013.

- Sobriedade na Hugo Boss -

A última coleção elaborada para a marca alemã pelo canadense Jason Wu, responsável por toda a linha feminina da Hugo Boss desde 2013, não foi um show, mas uma apresentação sóbria em um armazém.

Inspirada na obra do artista minimalista americano Robert Morris, as roupas foram tão sérias quanto as paredes ásperas do local. Dominaram e o preto e o azul, com casacos de lã amplos, enormes suéteres, pequenos vestidos tubinho de seda, ternos com calças e paletó em xadrez com toques de vermelho. Tudo tinha o toque minimalista característico do estilista.

A marca anunciou nesta terça-feira que Wu vai deixá-la neste mês, para desenvolver sua própria grife. Seu sucessor ainda não foi anunciado.