Mercado fechado

Como fugir de calote em festa de formatura? Fintech brasileira pode ser a solução

Fintech ajuda universitários a administrar dinheiro para festas de formatura (Foto: Getty Images)

Por Melissa Santos

Em abril, mais de 100 estudantes de universidades públicas e particulares do Rio de Janeiro levaram um calote de R$ 3 mil em uma festa de formatura. Casos como esse em Belo Horizonte, Paraná e São Paulo foram a motivação para o Keeper, uma plataforma de gestão e arrecadação voltada a festas de colação de grau.

Na ativa desde 2016, a solução visa resguardar universitários em cao de fraudes e falências das agências. A empresa já atendeu 905 comissões de formatura de 239 faculdades, já movimentou mais de R$ 439 milhões na plataforma e conta com mais de 97.000 formandos cadastrados.

Leia também

“A ideia já existia antes de mim e funcionava desde 2014 em um formato piloto. Desde que conheci a ideia e a dor que a empresa resolveria, decidi me jogar no mundo do empreendedorismo novamente”, conta Caio Zenatti, CEO da Keeper, que já tinha aberto uma empresa de fundo de investimentos com os colegas quando saiu da faculdade.

Zenatti conta que a ideia foi puramente pautada na dor de mercado. “Quem já passou por uma comissão de formatura sabe que é um processo estressante. Todos acham que você está curtindo festas, mas, na realidade, está com um pepino gigante na mão, principalmente do ponto de vista financeiro.”

Como o Keeper funciona

Zenatti explica que a contratação do serviço é bem simples: a comissão de formatura entra em contato com a fintech e agenda uma consultoria individual. Durante o bate-papo, é analisada a quantidade de formandos, número de convidados, buffet, bebidas, música, o espaço da festa, entre outras peculiaridades.

Feita a apuração, a empresa fará uma projeção dos valores com base em todos os detalhes da festa, e o cálculo individual para cada formando, já contabilizando os valores da inflação sobre os anos de arrecadação.

O valor é coletado pela plataforma mensalmente, os contratos são assinados eletronicamente, sendo que a Keeper cobra 5% do valor arrecadado pelo serviço.

Os resultados financeiros da arrecadação podem ser acessados em tempo real pela comissão e todos os valores arrecadados são investidos em fundos de investimentos ultraconservadores com baixo risco e os rendimentos são repassados aos formandos.

O tamanho do mercado

Atualmente o mercado de casamentos e festas de formatura fatura cerca de R$ 17 bilhões anualmente no Brasil. Cerca de 1 milhão de universitários se formam todos os anos, sendo que ao menos 40% fazem festas de formatura.

“Os números que estão em jogo são altos. A média dos valores das festas é de um milhão de reais e contam com cerca de 60 formandos. E aí a comissão precisa juntar todo o dinheiro, cobrar individualmente... Fora a insegurança de arrecadar na própria conta e correr o risco de cair na malha fina ou já logo fechar com uma empresa de formatura e rezar para ela estar viva no dia da festa”, fala.