Mercado fechará em 1 h 36 min
  • BOVESPA

    107.000,88
    -1.940,80 (-1,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.100,34
    -1.499,04 (-2,91%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,29
    -2,85 (-3,35%)
     
  • OURO

    1.834,30
    +2,50 (+0,14%)
     
  • BTC-USD

    34.466,62
    -851,71 (-2,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    777,45
    -33,15 (-4,09%)
     
  • S&P500

    4.231,86
    -166,08 (-3,78%)
     
  • DOW JONES

    33.216,17
    -1.049,20 (-3,06%)
     
  • FTSE

    7.297,15
    -196,98 (-2,63%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    13.782,00
    -644,50 (-4,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2412
    +0,0512 (+0,83%)
     

Calendário do IPVA 2022 é divulgado

·4 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 04.11.2021 - Movimentação intensa de veículos pela avenida Salim Farah Maluf, em São Paulo. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 04.11.2021 - Movimentação intensa de veículos pela avenida Salim Farah Maluf, em São Paulo. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) de 2022 ficará mais caro, segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado da Fazendo e Planejamento de São Paulo. É a primeira vez em que o imposto tem sobe em vez de cair em ao menos dez anos. O motivo é a valorização dos carros usados.

Os dados mostram que houve valorização de 25,17% nos caminhões usados. A alta foi seguida por camionetas e utilitários, com 23,5%. As motos subiram 23,33%. Já os preços de venda de automóveis registraram média de 21,99% acima do valor do ano anterior. Os ônibus e micro-ônibus tiveram 15,57% de valorização.

A secretaria também divulgou o calendário de pagamentos do imposto no ano que vem (confira abaixo). Nova lei garante que o tributo seja parcelado em até cinco vezes e não mais em três, como era feito até agora.

A primeira cota começa a vencer em 10 de janeiro, para placas de final 1, e vai até 21 de janeiro, para placas de final zero. Além do parcelamento em até cinco vezes, o governo trouxe uma novidade, que é um desconto de até 9% na primeira parcela.

Neste ano, haverá um desconto maior para quem quitar o imposto à vista, em janeiro. Os proprietários de veículos usados terão desconto de 9%. Para os que pagarem o IPVA total em fevereiro, ou preferirem parcelar, a redução será de 5%.

Para os donos de veículos zero-quilômetro, o desconto continua de 3% no pagamento até o quinto dia da emissão da nota fiscal, e os que preferirem também poderão parcelar em cinco vezes, mas sem desconto.

Os proprietários de veículos movidos à gasolina e os bicombustíveis recolhem 4% sobre o valor venal. Veículos usados que utilizam exclusivamente álcool, eletricidade ou gás, ainda que combinados entre si, permanecem com a alíquota de 3%.

O total do imposto a ser pago por cada veículo no ano tem como base levantamento feito pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) nos preços de venda praticados no varejo. Sobre este valor, aplica-se a alíquota referente ao tipo de combustível utilizado no carro. A tabela com os valores venais será publicada nesta quarta-feira (22), no Diário Oficial.

Já os veículos novos com essas mesmas especificações de combustível em Nota Fiscal, adquiridos a partir de 15 de janeiro de 2021 terão alíquota de 4%, de acordo com Lei 17.293/2020.

As picapes cabine dupla pagam 4%. Os utilitários (cabine simples), ônibus, micro-ônibus, motocicletas, motonetas, quadriciclos e similares recolhem 2% sobre o valor venal. Os caminhões pagam 1,5%.

Como saber o valor O valor do IPVA 2022 pode ser consultado no Portal da Fazenda estadual. Também é possível consultar o quanto vai pagar na rede bancária, nos caixas eletrônicos, pela internet ou direto nas agências. Em todos os casos, é preciso ter o número do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) e a placa do veículo.

Na data de quitação do imposto ou da primeira cota, o motorista também pode pagar outros débitos relacionados ao veículo como multas de trânsito e taxas de licenciamento, desde que não inscritos em dívida ativa) por meio de cartão de crédito ou débito ou por carteira digital, à vista ou parcelado. Para isso, é preciso ir presencialmente a um dos postos cadastrados pela Fazenda.

Será necessário fazer a quitação de qualquer débito caso o motorista queira antecipar o licenciamento do veículo.

Atraso no pagamento Quem deixar de recolher o imposto até a data-limite do vencimento fica sujeito a multa de 0,33% por dia de atraso e juros de mora com base na taxa Selic. Passados 60 dias, o percentual da multa é fixado em 20% do valor do imposto.

Permanecendo a inadimplência do IPVA, o débito será inscrito em dívida ativa. Como consequência, a multa passará a 40% do valor do imposto, além da inclusão do nome do proprietário no Cadin Estadual, impedindo-o de aproveitar eventuais créditos da Nota Fiscal Paulista. A partir do momento em que o débito de IPVA estiver inscrito, a Procuradoria-Geral do Estado poderá vir a cobrá-lo mediante protesto.

Após o prazo para licenciamento, conforme calendário do Detran, a inadimplência do IPVA impedirá de fazê-lo. Como consequência, o veículo poderá vir a ser apreendido, com multa aplicada pela autoridade de trânsito e sete pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos