Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,17
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.814,10
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    39.799,30
    +1.357,82 (+3,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    981,48
    +54,71 (+5,90%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.123,86
    +18,14 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    26.426,55
    +231,73 (+0,88%)
     
  • NIKKEI

    27.584,08
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    15.089,25
    +15,75 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1178
    -0,0005 (-0,01%)
     

Calendário astronômico de julho tem novo módulo na ISS e teste de nova espaçonave; saiba mais!

·4 minuto de leitura
Calendário astronômico de julho tem novo módulo na ISS e teste de nova espaçonave; saiba mais!
Calendário astronômico de julho tem novo módulo na ISS e teste de nova espaçonave; saiba mais!

Julho será um “prato cheio” para quem acompanha a exploração humana do espaço: além dos tradicionais lançamentos de satélites para observação da Terra e telecomunicações, teremos o lançamento de um novo módulo para a Estação Espacial Internacional (ISS) e o segundo teste orbital e não-tripulado de uma nova espaçonave, a Starliner da Boeing.

Veja abaixo nosso calendário astronômico de julho com os eventos mais importantes. Lembramos que todas as datas, horários e referências geográficas consideram um observador baseado em Brasília, e podem ser ligeiramente diferentes de acordo com sua posição no país.

Calendário astronômico de julho

1º de julho: A Arianespace irá usar um foguete Soyuz para colocar em órbita 36 satélites para a constelação de internet OneWeb. A missão OneWeb 8 irá decolar do cosmódromo de Vostochny, na Sibéria, às 9h48.

5 de julho: Afélio, o dia em que nosso planeta está mais afastado do Sol.

9 de julho: Mercúrio atinge o ponto mais alto no céu ao amanhecer. Olhe para o noroeste, pouco antes do nascer do Sol.

12 de julho: Conjunção entre a Lua e Vênus. O planeta será visível como uma estrela brilhante pouco abaixo e à esquerda da lua crescente.

15 de julho: Um foguete Proton russo lançará um novo módulo científico para a Estação Espacial Internacional, chamado Nauka. Ele irá decolar do cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, às 14h16.

O módulo russo Nauka (componente central na imagem), sendo “embrulhado” para o lançamento no Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. Imagem: Roscosmos
O módulo russo Nauka (componente central na imagem), sendo “embrulhado” para o lançamento no Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. Imagem: Roscosmos

17 de julho: A espaçonave de carga Progress 77 será desacoplada da Estação Espacial Internacional, carregando consigo o módulo russo Pirs, que será descartado. A manobra está programada para as 11h46.

23 de julho: O módulo Nauka será acoplado à Estação Espacial Internacional. A manobra está programada para as 13h28. Também no dia 23 temos a chegada da Lua Cheia, às 23h37.

Leia mais:

24 de julho: Conjunção entre a Lua e Saturno. O planeta estará visível acima e à esquerda da Lua. Procure pelo par no horizonte, a Leste, a partir das 18h45.

25 de julho: Conjunção entre a Lua e Júpiter. O planeta estará à esquerda e abaixo da Lua. Procure pelo par no horizonte, a Leste, a partir das 20h.

27 de julho: A Arianespace irá lançar um foguete Ariane 5 ECA para lançar dois satélites de comunicação, o Star One D2 e o Eutelsat Quantum, a partir do Espaçoporto da Guiana em Kourou, na Guiana Francesa.

manequim de voo
“Rosie, the Rocketeer”, manequim que estará a bordo da cápsula Starliner da Boeing durante o segundo teste não-tripulado do veículo, programado para 30 de julho de 2021. Imagem: Boeing

30 de julho: Starliner OFT-2, o segundo teste orbital não tripulado da cápsula espacial Starliner, da Boeing. Ela será lançada rumo à ISS por um foguete Atlas V da United Launch Alliance (ULA) a partir da Estação da Força Espacial dos EUA em Cabo Canaveral, na Flórida, às 15h53.

Como se orientar

Para acompanhar nosso calendário astronômico, é importante saber em que direção olhar e como identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque, uma bússola ou um app de astronomia em seu celular.

O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: “o sol nasce a leste e se põe a oeste”. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.

Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android minha recomendação é o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.

Apps como o Sky Safari são essenciais para acompanhar nosso calendário astronômico
O SkySafari usa bússola e GPS para identificar as estrelas para as quais o celular está apontando. Imagem: Simulation Curriculum

Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular e sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar. Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp., que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos