Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    56.683,92
    -5.695,09 (-9,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Caixa Econômica planeja IPO no exterior de seu banco digital até começo de 2022

Aluisio Alves
·1 minuto de leitura

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A Caixa Econômica Federal pretende listar as ações de seu braço digital Caixa Tem numa bolsa no exterior entre o final deste ano e o começo de 2022, disse nesta quinta-feira o presidente-executivo do banco estatal, Pedro Guimarães.

"Estamos apenas esperando a aprovação do Banco Central", disse Guimarães a jornalistas durante apresentação sobre os resultados da Caixa Econômica referentes ao quarto trimestre.

Canal criado pelo banco para realizar o pagamento do auxílio emergencial do governo federal no ano passado, o Caixa Tem atingiu 107 milhões de usuários, segundo apresentação nesta quinta-feira.

Antes disso, a Caixa já tem duas operações de mercado de capitais em andamento, com a venda de ações que detém no Banco Pan e a listagem de sua unidade de seguros Caixa Seguridade, ambas em análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

"Há interesse enorme do mercado em conhecer a Caixa Seguridade", disse Guimarães em relação ao IPO.

O banco ainda pretende listar na B3 no segundo semestre deste ano outro braço de negócios, o de gestão de recursos de terceiros.

A Caixa pretende usar parte dos recursos com a venda dessas participações para retomar pagamentos ao governo federal de empréstimos tomados na última década sob a forma de Instrumentos Híbridos de Capital (IHCD), disse Guimarães.