Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.816,90
    -18,90 (-1,03%)
     
  • BTC-USD

    41.563,57
    +1.824,45 (+4,59%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Cai número de mortes por COVID-19 no Brasil

·2 minuto de leitura

Há alguns meses, a vacinação contra COVID-19 começou no país. E desde o último dia 20, a média móvel de mortes pela doença se encontra em queda no Brasil, chegando à marca de 1.558.

Segundo os especialistas, a queda indica a efetividade da vacina em grupos totalmente imunizados. Um dos pesquisadores da Fiocruz, Julio Croda, atribui a vacinação total de idosos como principal explicação para o declínio numérico. Croda diz que a cobertura já está bem elevada nesta faixa, acima dos 60%, e que acima dos 70, 80 e 90 ainda é maior. Em seu ponto de vista, no número de casos, o impacto só vai ser maior com o avanço da vacinação.

Com isso, de acordo com a Universidade Federal de Pelotas (UFPel), no Rio Grande do Sul, e com a Universidade Harvard, dos Estados Unidos, a vacinação no Brasil evitou a morte de 43.082 pessoas com mais de 70 anos por COVID-19. O estudo afirma que "não há outra explicação para a queda [de mortes] na faixa etária acima de 70 a não ser a vacina".

(Imagem: twenty20photos/Envato)
(Imagem: twenty20photos/Envato)

Os pesquisadores envolvidos ainda ressaltam que "o patamar não se alterava desde o ano passado, só começa a cair com a vacina. E as mortes na faixa de 80 ou mais caem antes das de 70, o que faz sentido por conta das prioridades de vacinação". A pesquisa aponta que a proporção de idosos entre o total de óbitos por coronavírus caiu de quase 28%, em janeiro, para 12% (entre quem tem mais de 80 anos) e 16% (entre quem tem de 70 a 79 anos) em maio, e que as mortes por outras causas permaneceram estáveis no período.

É preciso mencionar também o avanço da vacina não só entre os grupos prioritários (idosos e pessoas com comorbidades), mas também no que tange outros públicos, uma vez que 12,41% dos brasileiros já estão completamente imunizados. Há 73.569.254 pessoas imunizadas parcialmente, o que corresponde a 34,74% da população que recebeu só a primeira dose.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos