Mercado fechará em 3 h 3 min
  • BOVESPA

    117.874,94
    +677,12 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.280,71
    +434,88 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,09
    +0,33 (+0,38%)
     
  • OURO

    1.720,30
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    20.102,31
    -136,68 (-0,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    457,42
    -5,70 (-1,23%)
     
  • S&P500

    3.766,56
    -16,72 (-0,44%)
     
  • DOW JONES

    30.101,62
    -172,25 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    -55,35 (-0,78%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,82 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.617,50
    -6,25 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0953
    -0,0409 (-0,80%)
     

Café ou cafake? Produtos similares confundem consumidores

Nos últimos 12 meses, o café ficou 46,34% mais caro (Getty Image)
Nos últimos 12 meses, o café ficou 46,34% mais caro (Getty Image)
  • Internautas discutiram sobre a criação de uma bebida 'sabor café'

  • Consumidores apelidaram o produto de 'cafake'

  • Anvisa diz que o produto está em uma categoria regulamentada para venda

Depois das polêmicas envolvendo os produtos feitos à base de leite, o fiel companheiro da bebida nas xícaras brasileiras também está na mira dos consumidores mais atentos.

Recentemente, viralizou nas redes sociais uma imagem com um pó para preparo de bebida sabor café tradicional da marca Pingo Preto. Os internautas logo apelidaram o produto de "cafake".

A criação de itens similares é relativamente comum em épocas em que a inflação corrói o poder de compra do consumidor. Nos últimos 12 meses, o café ficou 46,34% mais caro.

A descrição do produto no site da Amazon aponta que aponta como ingredientes o pó de café moído, além de aromatizantes e polpa de fruta. Com a mistura de outros itens, o produto pode ficar menos saudável, além das perdas de sabor e aroma.

De acordo com a Anvisa, o produto "pó para preparo de bebida", é uma categoria regulamentada pela RDC nº 273/2005. Ela abrange os alimentos compostos por uma mistura de ingredientes que são adicionados de outros como água, para obtenção de um produto final, podendo requerer aquecimento ou cozimento.

Grupo Jurerê disse ao site Enfoco que "o desenvolvimento seguiu todos os critérios regulamentadores da indústria brasileira, sendo aprovado pelos órgãos fiscalizadores como a Anvisa, Vigilância Sanitária, inclusive com respaldo positivo do PROCON de Santa Catarina, sendo favorável a sua concepção".

Por isso, é importante que cada vez mais os consumidores fiquem atentos na hora de encher o carrinho do supermercado durante a compra do mês.