Mercado abrirá em 1 h 31 min
  • BOVESPA

    124.612,03
    -1.391,83 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.910,53
    +12,74 (+0,03%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,79
    +0,14 (+0,20%)
     
  • OURO

    1.798,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    40.399,78
    +2.724,54 (+7,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    946,91
    +70,68 (+8,07%)
     
  • S&P500

    4.401,46
    -20,84 (-0,47%)
     
  • DOW JONES

    35.058,52
    -85,79 (-0,24%)
     
  • FTSE

    7.013,72
    +17,64 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.986,25
    +38,50 (+0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1138
    +0,0054 (+0,09%)
     

Cade condena cartel de tubos e conexões de PVC

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) condenou nesta quarta-feira cinco empresas e seis pessoas físicas por formação de cartel em licitações públicas para fornecimento de tubos e conexões de PVC para obras de infraestrutura de saneamento, obras prediais e de construção civil.

Ao todo, as multas aplicadas aos envolvidos no conluio ultrapassam 192 milhões de reais. As empresas multadas, segundo o Cade, são Krona Tubos e Conexões, Plastilit Produtos Plásticos do Paraná, Asperbras Tubos e Conexões, Hidroplast Indústria e Comércio e Corr Plastik Industrial.

A investigação do Cade começou em 2016, a partir de acordo de leniência com a Tigre e seus funcionários, informou a autarquia em comunicado à imprensa.

Entre as condutas anticompetitivas praticadas pelo cartel estão fixação artificial de preços, divisão de lotes em licitações públicas e abstenção em certames, troca de informações concorrencialmente sensíveis entre concorrentes e alocação de clientes privados, disse o Cade.

Segundo a autarquia, no setor de obras prediais e construção civil, o conluio durou entre 2007 e 2014, pelo menos. Nesse caso, Tigre e Amanco (atual Mexichem) "destacavam-se como líderes do mercado, e, em decorrência disso, tinham sua movimentação acompanhada pelas empresas do segundo grupo".

No decorrer do processo, o Cade firmou Termos de Compromisso de Cessação (TCCs) com BR Plásticos Indústria e BRP Indústria Plástica. Dois outros TCCs foram assinados depois, com Nicoll Indústria Plástica e Amanco Brasil. Ao todo, essas empresas pagaram 104,4 milhões de reais em contribuições pecuniárias recolhidas ao Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD), informou o Cade.

A autarquia afirmou que no julgamento desta quarta-feira extinguiu a "punibilidade administrativa e criminal" dos beneficiários da leniência por terem cumprido integralmente os termos do acordo.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos