Mercado abrirá em 9 h 41 min
  • BOVESPA

    116.134,46
    +6.097,67 (+5,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.429,75
    +802,95 (+1,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,70
    +0,07 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.705,30
    +3,30 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    19.565,58
    +385,17 (+2,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    444,85
    +9,49 (+2,18%)
     
  • S&P500

    3.678,43
    +92,81 (+2,59%)
     
  • DOW JONES

    29.490,89
    +765,38 (+2,66%)
     
  • FTSE

    6.908,76
    +14,95 (+0,22%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.840,75
    +624,96 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    11.365,75
    +80,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0763
    +0,0024 (+0,05%)
     

Cade abre inquérito sobre possíveis práticas anticompetitivas da Petrobras a refinarias

Fachada da sede da Petrobras no Brasil

(Reuters) - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) abriu um inquérito para investigar indícios de práticas anticompetitivas pela Petrobras no fornecimento de petróleo a refinarias privadas, informou o órgão à Reuters nesta terça-feira.

A medida administrativa foi tomada em continuidade ao procedimento preparatório instalado em junho pela superintendência-geral do regulador antitruste, que identificou a necessidade de um aprofundamento da investigação, para confirmar os indícios e se eles configuram ilícito concorrencial.

A investigação do Cade está relacionada ao processo de abertura do parque de refino brasileiro, iniciado em 2019 por meio de um acordo firmado com a Petrobras, pelo qual ela terá que vender oito refinarias, reduzindo a sua participação no setor.

Durante o inquérito, o Cade consultará empresas que atuam na atividade de exploração e produção de petróleo e também as que atuam na atividade de refino, como a Acelen, do fundo árabe Mubadala, que comprou a Refinaria Landulpho Alves, na Bahia, atual Refinaria de Mataripe, a primeira privatizada.

A Petrobras afirmou, em nota, que "atua em total conformidade com a legislação vigente e segue à disposição para apresentar os dados e esclarecimentos pertinentes ao Cade".

(Por Rafaella Barros)