Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.428,18
    -219,81 (-0,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.686,03
    -112,35 (-0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,44
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.764,70
    -1,00 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    61.675,72
    +731,02 (+1,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.430,53
    -21,11 (-1,45%)
     
  • S&P500

    4.486,46
    +15,09 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    35.258,61
    -36,15 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.203,83
    -30,20 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    25.409,75
    +78,75 (+0,31%)
     
  • NIKKEI

    29.025,46
    +474,56 (+1,66%)
     
  • NASDAQ

    15.283,00
    -7,50 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3915
    -0,0123 (-0,19%)
     

Cabos submarinos causam disputa entre EUA e China em países do pacífico

·3 minuto de leitura
Cabos submarinos causam disputa entre EUA e China em países do pacífico
Cabos submarinos causam disputa entre EUA e China em países do pacífico

Cabos submarinos estão se tornando cada vez mais comuns para conectarem partes diferentes do mundo. Em países isolados geograficamente, como os da Oceania, eles são particularmente importantes para a comunicação com outros continentes. No entanto, apesar do número de conexões na região ter aumentado, algumas ilhas continuam sem cabos, o que começou a causar uma disputa política.

Em parceria com os Estados Unidos e o Japão, a Austrália desenvolve um cabo para Palau. O país também financiou o Sistema de Cabo do Mar de Coral para Papua Nova Guiné e Ilhas Salomão, lançado em dezembro de 2019. Também são planejadas rotas para o Timor-Leste. Em setembro do ano passado, a Nova Zelândia também ajudou a financiar um cabo nas Ilhas Cook.

No entanto, uma parte do pacífico ainda não está conectada e é aí que começou a polêmica. A Micronésia Oriental abriu um processo de licitação para ter seu próprio cabo submarino e o financiamento ficou com o Banco de Desenvolvimento Asiático. A atitude desagradou os EUA, que investem em cabos na região e não querem a China interferindo no negócio. As informações são de Amanda HA Watson, pesquisadora do Departamento de Assuntos do Pacífico da Australian National University ao The Conversation.

O governo dos EUA disse que o cabo pode gerar “ameaças à segurança representadas por uma empresa chinesa com um lance de preço reduzido”. Por conta disso, os Estados Federados da Micronésia recuaram e desistiram por ora de usar o financiamento do banco asiático. No entanto, os países da região ainda pretendem ter o cabo e buscam soluções para isso.

cabos submarinos
Cabos submarinos no pacífico (Imagem: Divulgação Austrália)

Tensão em cabos submarinos no pacífico

As Ilhas Salomão também se aliaram com empresas chinesas para a construção de cabos submarinos, que ligariam as ilhas com a Austrália. No entanto, o governo australiano não aprovou o financiamento da China. Há preocupações na Austrália e entre os aliados sobre os riscos potenciais associados ao fato de a China ter acesso ou controle de cabos de internet.

O governo de Taiwan também soltou uma nota dizendo estar preocupado. “Taiwan afirmou que a China está apoiando o investimento privado nas redes de cabo submarino do Pacífico como uma forma de espionar nações estrangeiras e roubar dados”, diz um trecho.

A principal preocupação começou após a chinesa Huawei, que enfrenta sanções dos EUA, começar a instalar cabos no mundo. Negociações com a empresa também podem estar por trás do cancelamento de projetos financiados pelo Google e pelo Facebook, que deveriam chegar em Hong Kong.

“Uma conexão direta a cabo entre os Estados Unidos e Hong Kong representaria um risco inaceitável para a segurança nacional e os interesses de aplicação da lei dos Estados Unidos”, disse o Departamento de Justiça dos EUA.

Do outro lado, os EUA são acusados de dominarem o controle de internet no mundo, já que empresas americanas controlam boa parte dos cabos submarinos existentes. Até o momento, a tensão no pacífico sobre os cabos ainda está longe de ter um fim.

Leia também:

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos