Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.608,76
    -345,14 (-0,35%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.036,38
    +293,23 (+0,61%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,58
    +2,15 (+1,98%)
     
  • OURO

    1.808,50
    +7,00 (+0,39%)
     
  • BTC-USD

    19.876,91
    +544,65 (+2,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    429,24
    +9,10 (+2,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.232,65
    +64,00 (+0,89%)
     
  • HANG SENG

    21.830,35
    -29,44 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.153,81
    +218,19 (+0,84%)
     
  • NASDAQ

    11.592,25
    -19,00 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5466
    -0,0121 (-0,22%)
     

Cabo de R$ 2 bilhões e com15 mil km conecta China à Europa e África

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Cabo de internet subaquático
Cabo de internet subaquático

(Getty Images)

  • Cabo de internet subaquático desembarca no Quênia;

  • Chamado Cabo Peace tem 15 km de extensão e custa mais de R$ 2 bilhões;

  • Um dos objetivos é impulsionar a ligação entre a economia asiática e o restante do mundo.

Desembarcou no Quênia um cabo subaquático de internet que promete conectar a China à Europa e à África com seus mais de 15 mil quilômetros de cumprimento. O chamado Cabo Peace custa US$ 425 milhões (R$ 2 bilhões) e tem a empresa de telecomunicações Huawei como acionista.

A iniciativa faz parte do programa Digital Silk Road (Rota da Seda Digital) de Pequim, que visa impulsionar o comércio e investimento entre a economia asiática e o restante do mundo por meio da implementação de infraestrutura de tecnologia de informação e comunicação.

Além disso, a medida também ajuda a África Oriental a aumentar a capacidade de banda larga e reduzir o tempo de trânsito para conectividade com a Ásia e a Europa, segundo Mugo Kibati, CEO da Telkom Kenya Ltd, empresa que opera e mantém cinco dos seis cabos subaquáticos que pousaram no Quênia, incluindo este recente.

De acordo com as informações divulgadas pela Bloomberg, o cabo viaja por terra da China até o Paquistão. Depois, debaixo d’água, vai até a França. Outro ramo serpenteia pelo sul da África Oriental e desembarca no Quênia, na cidade de Mombasa. Como próximos passos, a ideia é criar uma extensão que chegue a Cingapura e África Meridional.

A Huawei é acionista da Hengtong Optic-Electric Co., a empresa que constrói o cabo.

Google conecta Europa e África com cabo de internet subaquático

No dia 18 de março, o Google anunciou que estenderá o cabo de internet subaquático Equiano de Portugal até Togo. A iniciativa pretende ajudar a África subsaariana – composta por 47 países abaixo do deserto do Saara -, região menos conectada do mundo. Cerca de 25% da população de lá não tem cobertura móvel de banda larga.

Em Togo, a chegada do cabo deve duplicar a velocidade de acesso para mais de oito milhões de habitantes e baixar os preços de acesso à internet em 14% a partir de 2025. A medida também cria, indiretamente, 37 mil postos de emprego no país de tem o poder de aumentar o PIB (Produto Interno Bruto) em 193 milhões de euros, de acordo com a Reuters.

Há ainda a possibilidade de estender as ligações para a Nigéria, Namíbia, África do Sul e outros países fronteiriços. A expectativa é de que o Equiano esteja funcionando antes do fim do ano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos