Mercado abrirá em 5 h 24 min
  • BOVESPA

    110.909,61
    +2.127,46 (+1,96%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.174,06
    -907,27 (-1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,74
    +0,54 (+0,69%)
     
  • OURO

    1.752,10
    +3,70 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.866,14
    +404,63 (+2,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,78
    +12,06 (+3,10%)
     
  • S&P500

    3.957,63
    -6,31 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    33.852,53
    +3,07 (+0,01%)
     
  • FTSE

    7.512,00
    +37,98 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    18.282,73
    +78,05 (+0,43%)
     
  • NIKKEI

    27.968,99
    -58,85 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    11.536,50
    +11,75 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4640
    +0,0074 (+0,14%)
     

Céu de novembro | Eventos astronômicos têm meteoros e eclipse lunar frustrante

O mês de novembro traz aos admiradores do céu noturno alguns eventos interessantes — entre eles, duas chuvas de meteoros e um eclipse lunar total. O eclipse, contudo, será visível de maneira parcial apenas em uma pequena área do norte do Brasil, aparecendo como um eclipse penumbral na maior parte do país e sequer sendo visível em grande parte do litoral.

Eventos astronômicos no céu de novembro de 2022

05 e 13 de novembro: picos das chuvas de meteoros Táuridas

As chuvas de meteoros Táuridas surgem quando detritos do cometa 2P/Encke adentram nossa atmosfera, sendo queimados no processo. Este cometa tem o período orbital mais curto de todos, levando só 3,3 anos para dar uma volta ao redor do Sol.

Durante essa viagem, o cometa acaba liberando pedaços de sua superfície para o espaço. Então, quando a Terra passa por esses detritos em sua trajetória orbital, muitos deles queimam na atmosfera, produzindo os rastros luminosos que vemos no céu noturno durante a chuva de meteoros.

As Táuridas se dividem em duas chuvas de meteoros cujos picos acontecem um atrás do outro. As Táuridas do Sul já estão rolando desde meados de setembro, atingem seu pico entre 4 e 5 de novembro e duram até o dia 20, enquanto as Táuridas do Norte começaram a surgir em meados de outubro, atingem pico entre 12 e 13 de novembro e duram até o dia 10 de dezembro.

Simulação de como estará o céu em São Paulo por volta da meia-noite do dia 05 (Imagem: Captura de tela/Stellarium)
Simulação de como estará o céu em São Paulo por volta da meia-noite do dia 05 (Imagem: Captura de tela/Stellarium)

O melhor horário para a observação é por volta da meia-noite, quando o radiante desta chuva está alto no céu. Esta chuva parece surgir da constelação de Touro e, para encontrá-la, é só identificar o cinturão de Órion (as famosas "três marias") e então desviar o olhar no sentido norte.

Porém, os meteoros podem brilhar em uma ampla região do céu, não apenas ali na constelação de Touro. Na verdade, se olhar somente para o radiante você talvez veja rastros luminosos mais curtos, mas, ao olhar para as constelações ao redor, pode ser que flagre algumas trilhas mais espetaculares.

A expectativa para o fenômeno está alta este ano, pois, conforme registro da American Meteor Society, as Táuridas apresentam um aumento considerável de meteoros a cada sete anos. Como em 2015 esta chuva de meteoros se destacou com uma grande quantidade de "estrelas cadentes", espera-se que 2022 seja mais um ano em que as Táuridas vão proporcionar um espetáculo e tanto no céu.

Chuvas de meteoros proporcionam rastros luminosos no céu (Imagem: Michał Mancewicz/Unsplash)
Chuvas de meteoros proporcionam rastros luminosos no céu (Imagem: Michał Mancewicz/Unsplash)

Ou seja: se tiver a oportunidade de passar uma noite longe das grandes cidades, em um local de preferência elevado, com vista ampla para o céu noturno, programe esse passeio para um dos dois dias em que as Táuridas atingem seu pico. Caso a chuva de meteoros realmente venha mais intensa neste mês, será uma ótima oportunidade para fotógrafos e entusiastas da astrofotografia fazerem cliques incríveis da paisagem "pintada" por muitas estrelas e sendo "cortada" por rastros de luz variados — como na foto acima.

08 de novembro: eclipse lunar total

(Imagem: Yu Kato/Unsplash)
(Imagem: Yu Kato/Unsplash)

O segundo e último eclipse lunar do ano será total, mas praticamente não poderemos vê-lo do Brasil. Quer dizer, apenas quem estiver na pontinha do estado do Acre, próximo à divisa com o Peru, poderá ver parte do eclipse total a partir das 5h da manhã do dia 8.

Sobre o restante do país: boa parte da região norte poderá ver um eclipse parcial no finalzinho da madrugada, mas para a maioria dos estados do nordeste, centro-oeste, sudeste e sul só resta tentar acompanhar um eclipse penumbral, quando a Lua fica na sombra externa e mais fraca da Terra.

Num eclipse penumbral a Lua não é encoberta: ela apenas fica menos iluminada e, muitas vezes, o fenômeno pode passar despercebido, de tão discreto que é. Já na faixa mais ao leste do Brasil, no litoral entre o Rio de Janeiro e o Rio Grande do Norte, o eclipse não poderá ser visto de forma alguma.

O mapa destaca em cores diferentes a visibilidade do eclipse em cada região. Na maior parte do Brasil, será observado um eclipse penumbral bem discreto (Imagem: timeanddate.com)
O mapa destaca em cores diferentes a visibilidade do eclipse em cada região. Na maior parte do Brasil, será observado um eclipse penumbral bem discreto (Imagem: timeanddate.com)

O eclipse da vez além de não ter muita graça para nós, brasileiros, ainda acontece pouco menos de seis dias antes de a Lua atingir seu apogeu — o ponto mais distante em que nosso satélite natural fica da Terra. Então, quando a Lua está no apogeu, ela parece ser um pouco menor, da mesma forma que, quando ela está no perigeu, a Lua parece ser maior, proporcionando o que é popularmente chamado de superlua em sua fase cheia.

18 de novembro: pico da chuva de meteoros Leônidas

A chuva de meteoros Leônidas começa no dia 6 de novembro e dura até o dia 30, tendo seu pico na madrugada do dia 18.

O nome "Leônidas" tem a ver com seu radiante — a constelação de Leão —, de onde os meteoros parecem surgir, se espalhando pelo céu. Esta chuva é consequência dos detritos deixados pelo cometa Tempel-Tuttle, que leva 33 anos para completar uma órbita ao redor do Sol.

Encontrar o radiante é fácil: basta localizar a Lua e então olhar um pouco além, no sentido nordeste. Porém, só será possível ver algum meteoro na madrugada, a partir das 2h e até o amanhecer. Isso, claro, se a noite não chegar cheia de nuvens e se você não estiver em um grande centro urbano, repleto de poluição luminosa e prédios impossibilitando uma visão ampla do céu.

Simulação do céu em São Paulo na madrugada do dia 18 (Imagem: Captura de tela/Stellarium)
Simulação do céu em São Paulo na madrugada do dia 18 (Imagem: Captura de tela/Stellarium)

Fases da Lua em novembro de 2022

Confira o calendário lunar deste mês, com os dias e horários de cada uma das principais fases da Lua:

  • 01 de novembro às 3h37: quarto crescente

  • 08 de novembro às 8h02: Lua cheia

  • 16 de novembro às 10h27: quarto minguante

  • 23 de novembro às 19h57: Lua nova

  • 30 de novembro às 11h36: quarto crescente

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: