Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,93
    -0,10 (-0,25%)
     
  • OURO

    1.924,10
    -5,40 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    12.898,77
    +1.841,76 (+16,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    257,79
    +12,90 (+5,27%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.639,46
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    11.618,75
    -72,50 (-0,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

Céu do hemisfério norte é retratado em panorama divulgado pela NASA; veja vídeo

Daniele Cavalcante
·2 minutos de leitura

O telescópio espacial Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS), da NASA, tem como objetivo pesquisar algumas milhares de estrelas da Via Láctea para tentar encontrar mundos ao redor delas. Graças a esse trabalho, ele também proporciona belos mosaicos da nossa galáxia, e a NASA acabou de liberar as imagens do novo panorama do céu do hemisfério norte, reunindo 208 fotos de estrelas, nebulosas e galáxias próximas.

No total, o telescópio fotografou cerca de 75% do céu ao longo de dois anos, e ainda segue realizando este trabalho para mapear a Via Láctea de modo ainda mais preciso. O hemisfério norte, retratado neste novo mosaico, é o lar de aproximadamente 600 candidatos a exoplanetas recém-descobertos.

Este panorama, entretanto, cobre menos do céu do que o mosaico do hemisfério sul, que foi fotografado durante o primeiro ano de operações da missão e compartilhado pela NASA no final de 2019. Ainda assim, o hemisfério norte contém metade dos candidatos a exoplanetas encontrados pelo TESS, já que a soma dos candidatos em ambos os hemisférios é de 12.000 objetos.

Dessa vez, o panorama traz uma diferença significativa em relação ao mosaico do hemisfério sul: há uma grande lacuna que corresponde a seis setores, que correspondem a uma região para a qual a equipe decidiu direcionar as câmeras mais ao norte, com o objetivo de minimizar o impacto da luz refletida pela Terra e pela Lua. Mesmo assim, há uma vastidão de curiosidades neste cenário, e ainda se trata de apenas um vislumbre dos dados que o TESS forneceu aos cientistas.

Para cada setor, o TESS capturou imagens por quase um mês usando quatro câmeras, cada uma equipada com um total de 16 sensores chamados CCDs. No total, cada CCD registrou cerca de 30.800 imagens científicas. O TESS enviou à Terra mais de 40 terabytes de dados até agora, e todos esses números aumentarão ainda mais no próximo ano. É que o telescópio recebeu aprimoramentos para iniciar sua missão estendida, na qual voltará a fotografar o hemisfério sul.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: