Mercado abrirá em 3 h 51 min
  • BOVESPA

    108.651,05
    +248,77 (+0,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.241,81
    -113,05 (-0,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    90,05
    -0,45 (-0,50%)
     
  • OURO

    1.808,50
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    23.106,62
    -691,39 (-2,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    537,48
    -19,87 (-3,56%)
     
  • S&P500

    4.122,47
    -17,59 (-0,42%)
     
  • DOW JONES

    32.774,41
    -58,13 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.489,19
    +1,04 (+0,01%)
     
  • HANG SENG

    19.610,84
    -392,60 (-1,96%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.087,50
    +56,00 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2525
    +0,0198 (+0,38%)
     

Céu de Agosto | Eventos astronômicos têm chuva de meteoros, eclipse e mais

Nós entendemos: é difícil sair da cama durante as madrugadas frias para observar o céu de agosto, mas quem tiver a coragem e determinação necessárias será recompensado. Neste mês teremos o pico de uma das chuvas de meteoros mais esperadas do ano, os Perseidas, e várias boas oportunidades para observar planetas como Marte, Urano, Saturno, Júpiter e Mercúrio.

Além disso, teremos em 29 de agosto a primeira "janela" de lançamento da missão Artemis I, da Nasa, a primeira em um programa espacial que pretende colocar humanos novamente na superfície da Lua. Este voo inaugural não será tripulado, mas é uma etapa importantíssima: é nele que a NASA irá testar todos os instrumentos do foguete SLS e da cápsula Orion, antes de começarmos a mandar astronautas na Artemis II, em 2023, ou tentar um pouso durante a Artemis III, em 2025 ou 2026.

Principais eventos astronômicos no céu de agosto

2 de agosto: começamos o mês com uma conjunção entre a Marte e Urano, ou seja, os dois planetas estarão bem próximos no Céu. O par surgirá no horizonte, a leste, por volta da 1h, com Urano à direita de Marte. Os astros estarão mais alto no céu pouco antes do amanhecer, ao norte, com Urano abaixo e à esquerda do planeta vermelho.

A proximidade com Marte facilita a tarefa de localizar Urano, o que torna esta uma excelente oportunidade para observá-lo. Mas você precisará de um binóculo com boa ampliação ou pequeno telescópio para ver alguma coisa, já que ele é um dos planetas mais distantes do sistema solar e, por isso, tem brilho fraco.

12 de agosto: na segunda semana do mês teremos outra conjunção, desta vez entre a Lua e Saturno. Procure pelo par na direção norte às 0h55, quando Saturno estará ligeiramente abaixo e à direita da Lua.

Na mesma hora Júpiter será a "estrela" bem brilhante mais abaixo e à direita de Saturno, na direção noroeste, e Marte estará surgindo no horizonte, mais ao leste. Este é o tipo de evento ideal para um observador iniciante, já que não é visível a olho nu.

Simulação do céu em 12 de agosto de 2022 às 0h55, olhando na direção norte. (Imagem: Reprodução / Stellarium Web)
Simulação do céu em 12 de agosto de 2022 às 0h55, olhando na direção norte. (Imagem: Reprodução / Stellarium Web)

13 de agosto: a chuva dos meteoros Perseidas estará ativa durante boa parte do mês: ela começou em 17 de julho, e vai até 24 de agosto. Mas o pico será durante o dia 13 de agosto, quando sob condições ideais (céu limpo, longe da poluição luminosa de grandes cidades) a estimativa é de até 24 meteoros por hora.

Para observá-la, procure por seu radiante, a constelação de Perseu, a partir das 2h30 da manhã, quando ele surge ao norte. O melhor momento é antes do nascer do Sol, por volta das 6 da manhã.

14 de agosto: Saturno estará em oposição, ou seja, diretamente oposto ao Sol no céu, o que o torna mais brilhante. O planeta estará visível a noite toda, surgindo no horizonte a leste a partir das 18h33, e se pondo a oeste às 5h54.

Também em 14 de agosto teremos uma conjunção entre a Lua e Júpiter. O par surgirá no horizonte, a leste, por volta das 21h20, com a distância entre eles diminuindo ao longo da noite. Por volta das 6h da manhã do dia 15, Saturno estará bem juntinho da lua, logo à direita, na direção oeste.

19 de agosto: conjunção entre a Lua e Marte. O par será visível no céu a partir da 00h40, quando surge no horizonte a noroeste, e estarão no ponto mais alto do céu por volta das 6h, ao norte.

28 de agosto: Mercúrio atingirá o ponto mais alto no céu às 17h54, quando o Sol se põe, e estará bem brilhante, o que torna fácil observá-lo: basta olhar para o horizonte na direção oeste.

Na verdade a janela de observação é bem maior: ele estará 20º ou mais acima do horizonte durante quase um mês, entre 10 de agosto e 9 de setembro. 28 de agosto é apenas o dia em que estará "mais alto". A dica é sempre a mesma: olhe para oeste no momento do pôr do Sol.

Fases da Lua no céu de agosto

Agosto começa com a Lua na fase quarto crescente e termina com uma Lua nova. Estas serão as fases da Lua durante o mês:

  • Em 5 de agosto de 2022 às 08h06 a Lua estará na fase quarto crescente

  • Em 11 de agosto de 2022 às 22h35 teremos uma Lua cheia

  • Em 19 de agosto de 2022 às 01h36 a Lua estará em quarto minguante

  • Em 27 de agosto de 2022 às 5h17 teremos a Lua nova

Missão à Lua

A NASA pretende lançar a primeira missão do programa Artemis entre o fim de agosto e início de setembro: a primeira data possível é 29 de agosto, às 10h33 (horário de Brasília). Lançando nesta data, a Artemis I teria duração de 42 dias, com retorno da cápsula Orion à Terra 42 dias depois do lançamento, em 10 de outubro.

O foguete SLS e a cápsula Orion serão enviados em uma viagem "ao redor da Lua" entre o final de agosto e o início de setembro. (Imagem: NASA / Reprodução)
O foguete SLS e a cápsula Orion serão enviados em uma viagem "ao redor da Lua" entre o final de agosto e o início de setembro. (Imagem: NASA / Reprodução)

A Artemis I não será tripulada: o objetivo da missão é testar a cápsula Orion e todos os seus sistemas em uma jornada "ao redor da Lua" antes de uma missão similar, mas com três astronautas norte-americanos e um canadense, chamada Artemis II, que só deve acontecer em maio de 2024.

Caso não seja possível lançar na primeira data, a NASA terá outras oportunidades em 2 de setembro às 14h48 e no dia 5 de setembro às 19h12. Qualquer que seja a data, será possível acompanhar o evento ao vivo no canal da Nasa no YouTube.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos