Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    49.147,33
    +1.547,43 (+3,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Cérebro é capaz de prever as palavras que outra pessoa vai dizer; entenda

·2 min de leitura

Durante uma conversa, o cérebro é capaz de prever a próxima palavra que a outra pessoa vai falar. Pelo menos, é isso o que afirma um novo estudo do Massachusetts Institute of Technology (MIT). Para chegar à conclusão, os pesquisadores compararam dezenas de algoritmos de machine learning com informações cerebrais e outros dados que mostram como os circuitos neurais funcionam quando uma pessoa lê ou ouve a linguagem.

O artigo menciona que essa previsão da palavra seguinte é fundamental para algoritmos como aqueles que sugerem palavras à medida que você redige seus textos e e-mails, e os modelos que se destacam na previsão da palavra seguinte também são melhores em antecipar os padrões de atividade cerebral e os tempos de leitura. Isso significa que os modelos não são úteis apenas para propor a palavra, mas também para oferecer um vislumbre de como seu cérebro dá sentido ao grande número de palavras ditas pelo interlocutor.

Os pesquisadores examinaram modelos baseados em 43 redes neurais artificiais. Alguns dos modelos foram otimizados para prever as palavras. O artigo disserta que a atividade da rede neural era semelhante à atividade cerebral no que diz respeito a humanos lendo textos ou ouvindo histórias, por exemplo. O grupo também traduziu o desempenho das redes neurais em previsões de quanto tempo o cérebro levaria para ler uma determinada palavra.

(Imagem: Idimair/Envato)
(Imagem: Idimair/Envato)

O estudo marca a primeira vez que um algoritmo de machine learning foi comparado a dados do cérebro para explicar o funcionamento de uma tarefa cognitiva de alto nível. A descoberta sugere que o processamento preditivo é fundamental para a forma como compreendemos a linguagem em si.

A técnica demonstra que as redes neurais e a ciência computacional podem, de fato, ser ferramentas críticas para fornecer uma visão de como o cérebro processa informações.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos