Mercado fechará em 5 h 22 min
  • BOVESPA

    98.644,24
    -309,66 (-0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.220,87
    +477,72 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,37
    +1,94 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.810,00
    +8,50 (+0,47%)
     
  • BTC-USD

    19.567,50
    +523,38 (+2,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    423,61
    +3,47 (+0,83%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.242,53
    +73,88 (+1,03%)
     
  • HANG SENG

    21.830,35
    -29,44 (-0,13%)
     
  • NIKKEI

    26.153,81
    +218,19 (+0,84%)
     
  • NASDAQ

    11.538,00
    -73,25 (-0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5306
    -0,0281 (-0,51%)
     

Célula solar usa calor emanado pela Terra para gerar energia durante a noite

Pesquisadores da Universidade New South Wales (UNSW), na Austrália, desenvolveram um novo tipo de célula fotovoltaica capaz de produzir eletricidade à noite. Conhecida como energia solar “noturna”, essa tecnologia gera eletricidade a partir do calor irradiado como luz infravermelha.

Segundo os cientistas, um dispositivo semicondutor chamado diodo termorradiativo — composto por materiais fotossensíveis usados na fabricação de óculos de visão noturna — consegue converter o calor emanado pela Terra quando o Sol se põe em energia elétrica.

"Usando câmeras de imagem térmica, é possível ver quanta radiação existe à noite, mas apenas no infravermelho em vez dos comprimentos de onda visíveis. O que fizemos foi criar um dispositivo que pode gerar energia elétrica a partir da emissão de radiação térmica infravermelha", explica o professor Nicholas Ekins-Daukes, autor principal do estudo.

Gerador noturno

Assim como uma célula fotovoltaica comum gera eletricidade absorvendo a luz solar, o diodo termorradiativo produz energia elétrica emitindo luz infravermelha em um ambiente mais frio. É justamente essa diferença de temperatura que permite a geração de eletricidade.

Diodo termorradiativo usado para captar a energia solar "noturna" (Imagem: Reprodução/UNSW)
Diodo termorradiativo usado para captar a energia solar "noturna" (Imagem: Reprodução/UNSW)

Embora essa quantidade de energia ainda seja muito pequena — aproximadamente 100 mil vezes menor do que a fornecida por um painel solar convencional —, os pesquisadores acreditam que essa eficiência energética possa ser aperfeiçoada no futuro com a implantação de novas tecnologias.

"A energia fotovoltaica é um processo artificial que os humanos desenvolveram para converter a luz solar em eletricidade. O que descobrimos agora é que é possível gerar energia elétrica com essa luz que atinge a Terra durante o dia e flui de volta para o espaço em forma de ondas infravermelhas durante a noite", acrescenta Ekins-Daukes.

Calor humano

Os cientistas acreditam que essa nova tecnologia também possa ser usada na alimentação de dispositivos biônicos — como corações artificiais e marcapassos — que funcionam com baterias de íons de lítio e precisam ser substituídas ou recarregadas regularmente.

Energia emanada pelo corpo humano captada por uma câmera térmica (Imagem: Reprodução/UNSW)
Energia emanada pelo corpo humano captada por uma câmera térmica (Imagem: Reprodução/UNSW)

Em teoria, esse sistema inovador pode ser adaptado para gerar eletricidade utilizando apenas o calor emanado pelo corpo humano. Mesmo que a potência gerada pelo diodo termorradiativo ainda seja relativamente baixa, a ideia é aperfeiçoar a técnica e aumentar essa capacidade nos próximos dez anos.

"No futuro, essa tecnologia incrível poderia potencialmente coletar nossa energia corporal, eliminando a necessidade de baterias em certos dispositivos eletrônicos. Nosso progresso mostra que já é possível produzir cerca de um décimo da eletricidade necessária para fazer um telefone celular funcionar”, encerra o professor Ned Ekins-Daukes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos