Mercado abrirá em 6 h 27 min

Cédulas de 20 e de 50 libras caducam no dia 30 de setembro; saiba como trocar

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - As notas de papel £ 20 e £ 50 em circulação no Reino Unido vão perder a validade a partir da próxima sexta-feira (30). Faltando uma semana para o término do prazo, o BoE (Banco da Inglaterra) contabiliza mais de £ 11 bilhões (R$ 64 bilhões) de dinheiro em circulação que deixarão de valer.

Segundo a instituição, são mais de 250 milhões de notas individuais de £ 20 e mais de 110 milhões de notas de £ 50 que precisam ser substituídas. Após o prazo, as cédulas deixarão de ser aceitas como pagamento em todo o Reino Unido.

Os modelos de papel vão ser trocados por cédulas de polímero, que são mais resistentes e difíceis de serem falsificadas. O anúncio do término da validade foi feito em setembro de 2021, e os britânicos tiveram pouco mais de um ano para fazerem a troca.

De acordo com o Banco da Inglaterra, as notas de £ 20 com a figura do economista Adam Smith estão sendo substituídas pela figura do artista JMW Turner.

Quem passa a ocupar a cédula de £ 50 libras é o matemático e cientista da computação Alan Turing, no lugar dos fundadores da empresa Boulton and Watt, Mattew Boulton e James Watt.

Ainda segundo a instituição, as notas de polímero com um retrato da Rainha Elizabeth 2ª permanecem em valendo como moeda corrente.

No Reino Unido, após o dia 30 de setembro, as cédulas antigas poderão ser trocadas pelos correntistas nas agências bancárias ou pelos correios britânicos. A autoridade bancária não estipulou um prazo para realizar esse procedimento.

Brasileiros também precisam respeitar o prazo De acordo com Mario Battistel, gerente de câmbio na Fair Corretora, brasileiros que guardam as cédulas de libra também precisam de atentar ao prazo para não correr o risco de perderem os valores. Ele orienta as pessoas que estiverem no Brasil a buscarem instituições financeiras, como corretoras e bancos comerciais, das quais são correntistas para fazerem a substituição.

"Essas cédulas vão continuar sendo absorvidas pelo Banco da Inglaterra por um prazo mais longo. Mas, internamente, o ideal é correr para se livrar de um papel que não vale nada. É orientável vender essas moedas ou trocar por dólar ou outras notas que não estão saindo de circulação lá fora".

Outra opção seria buscar as casas de câmbio. São diversas empresas do segmento espalhadas pelo país. No entanto, Battistel afirma que o prazo de sete dias torna o procedimento mais difícil. Isso porque, diferente dos bancos comerciais, as casas de câmbio são impedidas de importar cédulas estrangeiras.

Eles precisariam recomprar as cédulas do consumidor e trocá-las em um banco comercial, que então realizaria a exportação do papel para ser substituído no Reino Unido. "Por isso, acho que o prazo de sete dias é muito curto para esse procedimento mais específico. É bem provável que as casas de câmbio não aceitem, mas na impossibilidade de ir até os bancos comerciais, vale a tentativa".

Seja como for, o momento para a conversão deve significar algum prejuízo. Nesta sexta (23), a libra esterlina caiu ao menor patamar desde 1985, a US$ 1,10 (R$ 5,74), depois que o governo anunciou planos orçamentários que causaram preocupação entre os investidores.

Banco Central diz que empresas têm liberdade em aceitar ou não cédulas Segundo o BC (Banco Central) brasileiro, as instituições autorizadas a operar no mercado de câmbio podem aceitar ou recusar cédulas oferecidas durante as operações, já que a operação de câmbio é considerada um ato voluntário.

"Dessa forma, as instituições autorizadas não são obrigadas a negociar moeda estrangeira em espécie com seus clientes", informou o BC, por meio da assessoria de imprensa.

As casas de câmbio procuradas pela reportagem confirmaram que pretendem manter as operações de compra das cédulas de libra que estão sendo substituídas no Reino Unido. A SP Mundi Câmbio informou que vai manter a operação até a próxima sexta-feira (30), quando as cédulas deixam de ter valor no mercado. Até lá, as operações seguirão o valor do câmbio.

Na Travelex Confidence também é possível fazer a venda ou troca das cédulas por outra moeda até a próxima sexta-feira. O preço da venda seguirá a variação do câmbio do dia. Depois desse prazo, a empresa continuará a receber as cédulas fora de circulação. Nesse caso, será cobrado um deságio de 30%.

A casa de câmbio Cotação, do Grupo Rendimento, também confirmou que continuará adquirindo cédulas de libras, incluindo as de £ 20 e £ 50, mesmo após o dia 30 de setembro. "No caso de moedas que sairão de circulação, a possibilidade de aquisição se dá em função da realização de uma operação de exportação desses papéis moeda aos bancos ingleses", afirmou Alexandre Fialho, diretor do Grupo Rendimento.

Substituição gradual Segundo o Banco da Inglaterra, as notas de papel de £ 20 começaram a ser retiradas de circulação em fevereiro de 2020, quando o polímero de £ 20 entrou em circulação.

As notas de 50 libras em papel começaram a ser retiradas em junho de 2021, também substituídas pelas cédulas de polímero.

As cédulas de £ 20 e £ 50 completam a primeira série de polímeros do BoE. De acordo com a instituição, a introdução de notas de polímero permite uma nova geração de recursos de segurança que as tornam ainda mais difíceis de falsificar.

As notas também são resistentes à sujeira e umidade, o que permitem que elas durem por mais tempo. Além disso, elas possuem recursos táteis que permitem que deficientes visuais possam usá-las com mais facilidade.