Mercado fechado

Cão-robô vai fazer a segurança do Rock in Rio 2022

O Rock In Rio Brasil 2022 terá o uso de um robô-canino para ajudar no patrulhamento do evento. O cachorro robotizado deve se juntar a outros dois mil vigilantes, software de reconhecimento facial, 130 câmeras de segurança (sendo duas noturnas e uma térmica), 25 condutores para cães treinados, drones além de mais uma infinidade de aparatos de proteção.

O cão-robô do Rock In Rio será o mesmo que atuou no Mutua Madrid Open e Rock in Rio Lisboa, ambos em 2022. Chamado Yellow, o simpático cachorro robô será integrado à equipe operacional para oferecer vantagens, como coleta de dados ambientais, detecção de incêndio, monitoramento de eventos suspeitos e intervenção em situações de risco à vida humana.

O "amarelo" vai ajudar na segurança do evento musical (Imagem: Divulgação/SegurPro)
O "amarelo" vai ajudar na segurança do evento musical (Imagem: Divulgação/SegurPro)

O Yellow ficará andando pela Cidade do Rock para reunir e enviar as informações em tempo real para o Centro de Controle Operacional, local onde estarão reunidos os agentes de monitoramento. A máquina funcionará com uma bateria interna e terá conectividade por 5G para garantir a transmissão rápida dos dados.

O robô apresenta um design e funções semelhantes ao Spot, um dos modelos mais populares da Boston Dynamics. Ele foi colocado no mercado em 2019 e custa cerca de US$ 75 mil (cerca de R_jobs(data.conteudo)nbsp;380 mil em conversão direta, sem considerar os impostos de importação). Trata-se de um modelo bastante versátil, capaz de dançar com o grupo sul-coreano BTS, monitorar a segurança fábricas e patrulhar bases aéreas das Forças Armadas dos Estados Unidos.

Segurança tecnológica reforçada

A ação foi desenvolvida pela SegurPro, responsável pela segurança dos sete dias de festa no Parque Olímpico, no Rio de Janeiro. A empresa vai desenvolver um conceito de segurança híbrida, que mistura ações de vigias de carne e osso com recursos tecnológicos inteligentes, como o cão-robô.

Segundo a companhia, as máquinas são capazes de identificar tumultos, gerenciar o espaço e até analisar as condições meteorológicas da Cidade do Rock. A vantagem seria o monitoramento à distância e em tempo real, sem exigir a presença física de um segurança.

"Nesta edição, iremos oferecer uma solução inteligente, que une a melhor tecnologia do mercado a uma equipe especializada em grandes eventos, capacitada para fazer do Rock in Rio Brasil um festival memorável como ele já é”, afirma o gerente Global Risk Services da SegurPro, Paulo Armário.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: