Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,82 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,44 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,33
    +0,57 (+0,68%)
     
  • OURO

    1.796,50
    +0,20 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    61.955,18
    +912,03 (+1,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,70 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,92 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,43 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.654,62
    -150,23 (-0,52%)
     
  • NASDAQ

    15.331,75
    -9,25 (-0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5778
    -0,0030 (-0,05%)
     

Cães são "programados" para entender humanos desde filhotinhos, diz estudo

·2 minuto de leitura

Você já teve a sensação de que o seu cachorro entende o que você diz, e praticamente te responde? Acredite, isso não é por acaso. Segundo um novo estudo publicado na revista científica Scientific Reports, os cães são "programados" para compreender os humanos desde o nascimento.

O estudo descobriu que os cães podem entender a diferença entre as ações acidentais e deliberadas de seus donos. "As habilidades comunicativas dos cães os posicionam de maneira única para preencher o nicho que eles fazem ao lado dos humanos. Muitas das tarefas que eles realizam para nós, agora e no passado, como pastorear, caçar, detectar, são facilitadas por sua capacidade de compreender nossas pistas", escrevem os pesquisadores.

O artigo acrescenta que os cães podem dizer a diferença entre um humano que pretende dar a eles uma guloseima e uma pessoa que está deliberadamente retendo essa recompensa. Para entender tudo isso, os pesquisadores montaram um experimento: uma pessoa e um cachorro foram separados por uma barreira de plástico, com uma pequena lacuna no meio grande o suficiente para uma mão passar. A barreira não cobria todo o comprimento da sala, portanto, os cães poderiam contorná-la se quisessem. Os participantes humanos passaram ao cão um petisco através da lacuna de três maneiras.

Primeiro, eles ofereceram bastante, mas de repente deixaram-no cair do seu lado da barreira. Em seguida, eles tentaram passar o petisco, mas a lacuna foi bloqueada. Por último, eles ofereceram a guloseima, mas posteriormente puxaram o braço para trás e riram.

(Imagem: bublikhaus/Freepik)
(Imagem: bublikhaus/Freepik)

Os pesquisadores tentaram essa configuração em 51 cães e cronometraram quanto tempo cada um levou para contornar a barreira e recuperar o petisco. Os resultados mostraram que os cães esperaram muito mais para recuperar o petisco quando a pessoa o reteve propositalmente do que quando deixou cair ou não conseguiu fazê-lo passar pela barreira. Isso sugere que os cães podem distinguir as ações intencionais dos humanos de seu comportamento não intencional e responder de acordo.

Anteriormente, outro estudo analisou o comportamento de filhotinhos em uma série de tarefas que mediram a capacidade de interagir com os humanos. Eles mediram quanto tempo levou para os filhotes seguirem o dedo de uma pessoa para encontrar uma guloseima escondida e quanto tempo mantiveram contato visual. Os pesquisadores descobriram que o desempenho dos filhotes nas tarefas não melhorou ao longo do experimento, sugerindo que isso não fazia parte de um processo de aprendizagem. O grupo sugere que os cães nascem com as habilidades sociais de que precisam para ler as pessoas e entender nossas intenções. Acesse o estudo aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos