Mercado abrirá em 6 h 16 min
  • BOVESPA

    128.427,98
    -339,48 (-0,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.170,78
    +40,90 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,36
    +0,28 (+0,38%)
     
  • OURO

    1.777,10
    -6,30 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    32.905,21
    -1.157,01 (-3,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    793,91
    -16,28 (-2,01%)
     
  • S&P500

    4.241,84
    -4,60 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    33.874,24
    -71,34 (-0,21%)
     
  • FTSE

    7.074,06
    -15,95 (-0,22%)
     
  • HANG SENG

    28.883,90
    +66,83 (+0,23%)
     
  • NIKKEI

    28.875,23
    +0,34 (+0,00%)
     
  • NASDAQ

    14.299,25
    +36,25 (+0,25%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9302
    +0,0017 (+0,03%)
     

Cães farejadores podem detectar COVID-19 tão bem quanto testes PCR; entenda

·1 minuto de leitura

O combate contra a COVID-19 tem conquistado aliados particularmente inusitados. É o caso dos cães farejadores, que em muitos lugares estão sendo treinados para detectar a doença pelo suor. E de acordo com estudos mais recentes, esses cães podem ser tão precisos quanto testes de PCR.

De acordo com uma pesquisa da Escola Nacional de Veterinária da França, por exemplo, a precisão dos cães farejadores chega a 97% para casos positivos, e 91% para os casos negativos. Essa classificação de sensibilidade supera a de muitos testes rápidos.

O estudo coletou amostras de suor das axilas dos participantes com algodões que foram fechados em potes e entregou essas amostras a nove cães que não tiveram nenhum contato prévio com os voluntários. Foram testadas 335 pessoas, das quais 109 foram positivas em um teste PCR, que serviu de controle. Nem os pesquisadores não sabiam quais amostras eram positivas.

(Imagem: fernando zhiminaicela/Pixabay)
(Imagem: fernando zhiminaicela/Pixabay)

Em julho do ano passado, pesquisadores alemães mostraram que cães treinados eram capazes de distinguir entre amostras de saliva de pessoas infectadas com o vírus. Na Finlândia, nos Emirados Árabes e na Suíça, especialistas também começaram a treinar cães para farejar essas infecções.

Esses resultados abrem portas para que esses cães farejadores sejam amplamente implantados em aeroportos, estações de trem e outro lugares para rastrear pessoas, da mesma forma que são usados ​​para detectar drogas ou bombas. A técnica também permite a identificação da COVID-19 em poucos segundos, de maneira não invasiva e a um custo baixo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos