Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.557,68
    +2.463,18 (+6,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Cães e gatos também sofrem impactos do isolamento social na pandemia, diz estudo

·1 minuto de leitura

O isolamento social proporcionou inúmeros impactos no psicológico dos seres humanos, algo que já destacamos em nosso especial sobre pandemia e saúde mental, por exemplo. Mas como será que foi o impacto em animais de estimação? Quem responde isso é um estudo das Universidades de York e Lincoln, no Reino Unido.

A pesquisa examinou se a saúde mental das pessoas afetou o bem-estar de seus pets, tal como a associação entre essas mudanças e as variações na vida diária, comportamento e saúde mental dos tutores. Segundo os relatos dos participantes da pesquisa, os gatos ficaram mais afetuosos durante a fase de isolamento e lockdown, em comparação com outras espécies. Inclusive, os participantes do estudo relataram mudanças negativas nos cachorros.

O professor Daniel Mills, especialista em comportamento animal da Universidade de Lincoln, explicou que o bem-estar de um animal é fortemente influenciado pelo comportamento de seus tutores, bem como seu ambiente físico e social.

(Imagem: Krista Mangulsone/Unsplash)
(Imagem: Krista Mangulsone/Unsplash)

Durante o lockdown, a equipe fez uma pesquisa com mais de 5 mil tutores de animais de estimação no Reino Unido. Na pesquisa, 67,3% das pessoas relataram mudanças no bem-estar e no comportamento de seus animais durante a primeira fase de lockdown. Essas mudanças relatadas foram agrupadas estatisticamente em escalas de bem-estar positivas e negativas separadas.

No geral, aproximadamente um terço dos gatos e cães não foram afetados pelo primeiro lockdown, em comparação com cerca de 40% de outras espécies, e muitos animais tiveram melhora no bem-estar.

Enquanto isso, de 10% a 15% dos participantes relataram que seus animais pareciam ser mais enérgicos e brincalhões, e 20% a 30% indicaram que seus animais pareciam mais relaxados.

O estudo completo pode ser acessado aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos