Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.183,95
    -355,84 (-0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.377,47
    +695,28 (+1,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,87
    -0,41 (-0,67%)
     
  • OURO

    1.709,40
    -6,40 (-0,37%)
     
  • BTC-USD

    50.420,12
    +2.234,00 (+4,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.014,06
    +25,96 (+2,63%)
     
  • S&P500

    3.819,72
    -50,57 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    31.270,09
    -121,43 (-0,39%)
     
  • FTSE

    6.675,47
    +61,72 (+0,93%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.192,23
    -366,87 (-1,24%)
     
  • NASDAQ

    12.621,00
    -60,75 (-0,48%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7745
    -0,0042 (-0,06%)
     

Câmeras de smartphones do Google vão medir respiração e batimentos cardíacos

Paresh Dave
·1 minuto de leitura
.

Por Paresh Dave

(Reuters) - Câmeras dos smartphones Google Pixel serão capazes de medir batimentos cardíacos e de respiração a partir do próximo mês, em uma das primeiras aplicações da tecnologia de inteligência artificial da Alphabet em seus serviços de bem-estar.

Aplicativos de saúde disponíveis na loja Google Play e na App Store da Apple há anos fornecem a mesma funcionalidade. Mas um estudo em 2017 descobriu que a precisão varia e a adoção dos aplicativos continua baixa.

Chefes do Google Health disseram no início desta semana que avançaram com a inteligência artificial que alimenta as medições e planejam detalhar seu método e teste clínico num artigo acadêmico nas próximas semanas.

A empresa espera lançar o recurso para outros smartphones Android em uma data não definida, mas os planos para iPhones não são claros.

O Apple Watch, o Fitbit do Google e outros dispositivos expandiram muito o alcance de tecnologias que medem a frequência cardíaca de maneira contínua para uma população muito maior.

Com o método revelado agora, os usuários que desejam medir seu pulso colocam o dedo sobre a lente, que capta mudanças sutis de cor que correspondem ao fluxo sanguíneo. A respiração é calculada a partir do vídeo dos movimentos do tronco superior.

O diretor de produtos do Google Health, Jack Po, disse que a empresa quer oferecer uma opção às verificações manuais de pulso para donos de smartphones que desejam monitorar sua condição apenas ocasionalmente, mas não podem pagar por um wearable.

O novo recurso estará disponível como uma atualização para o aplicativo Google Fit.

AAP