Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    48.196,74
    +1.062,72 (+2,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7797
    -0,0062 (-0,09%)
     

Câmara quer votar autonomia do BC, lei cambial e temas relacionados às vacinas na próxima semana

Maria Carolina Marcello
·1 minuto de leitura
Plenário da Câmara dos Deputados

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - A Câmara dos Deputados pretende votar, na próxima semana temas prioritários como a autonomia do Banco Central, o projeto da nova lei cambial e ainda medidas relacionadas à facilitação do acesso às vacinas contra a Covid-19, além da criminalização dos chamados fura-fila, informou o líder do DEM na Casa, Efraim Filho (PB).

O deputado participou de reunião de líderes, a primeira realizada pelo novo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para a definição da pauta da próxima semana. Durante o encontro, também foi abordada a urgência da discussão sobre uma forma de distribuir renda aos mais atingidos pela pandemia do coronavírus.

"Para a próxima semana, (foram acertados) alguns projetos que já vinham sendo tratados com prioridade: a nova lei cambial, a autonomia do Banco Central, super endividamento... temas que dizem respeito à questão da criminalização do uso fraudulento, dos 'fura-fila' de vacinas, então todos esses temas que dizem respeito à pandemia, também na prioridade", disse o líder a jornalistas após a reunião.

"O retorno do auxílio emergencial é prioridade. É preciso colocar o pão na mesa da família de muitos brasileiros. O grande dilema é encontrar qual o espaço no Orçamento e qual a viabilidade do ponto de vista da responsabilidade fiscal", acrescentou o líder, questionado sobre o tema.

Também ficou acertada a retomada gradual do funcionamento das comissões permanentes em março. Segundo Efraim, Lira ainda discutirá com cada líder a composição das comissões. Um dos temas que tem provocado controvérsia diz respeito à possibilidade de a deputada Bia Kicis (PSL-DF) presidir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa.