Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.854,57
    -1.418,96 (-3,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Câmara inicia discussão de projeto do IR; relator promete redução para todas as pessoas físicas

·1 minuto de leitura
Plenário da Câmara dos Deputados

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - A Câmara dos Deputados iniciou na noite desta quarta-feira a discussão em plenário do projeto que altera regras do Imposto de Renda, mediante acordo alcançado após o relator da matéria, Celso Sabino (PSDB-PA), promover mudanças em seu parecer e prometer, entre outros pontos, a redução do tributo para todas as pessoas físicas.

Parte do conjunto de medidas infraconstitucionais em tramitação na Casa que integram a reforma tributária, a proposta sobre o IR vinha enfrentando resistências e chegou a ser retirada de pauta no mês passado. Agora, recebeu o apoio da maioria das lideranças parlamentares, incluindo a base do governo e partidos da oposição.

Segundo Sabino, o novo texto, que ainda não foi protocolado no sistema da Casa, permitirá a redução do IR para pessoa física em todas as faixas, e foi retirada a limitação à dedução simplificada.

A proposta trará ainda uma diminuição da tributação sobre o capital produtivo e não resultará em perdas de arrecadação para Estados e municípios, de acordo com o deputado.

O novo texto mantém, segundo o relator, a taxação de lucros e dividendos de 20% já prevista na versão anterior. O novo parecer, por outro lado, prevê alíquota adicional de 1,5% na Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), a ser distribuída a entes federativos.

Ao defender a aprovação da proposta na tribuna da Câmara, Sabino disse ter conversado com a Frente Parlamentar da Agropecuária, o que o motivou a fazer "ajustes pontuais" no parecer, e disse também contar com o apoio de entidades representantes de pequenas e micro empresas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos