Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.806,83
    +1.270,40 (+3,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Câmara aprova projeto que autoriza depósitos voluntários de instituições financeiras no BC

·2 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 03.02.2020 - Sessão solene de abertura do ano legislativo no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 03.02.2020 - Sessão solene de abertura do ano legislativo no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (22) projeto que permite que o Banco Central recolha depósitos voluntários de instituições financeiras como instrumento adicional de política monetária.

O texto foi aprovado por 425 votos a favor e 10 contrários e segue para sanção ou veto do presidente Jair Bolsonaro.

O projeto foi relatado pela deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), que lembra que, com a edição da Lei de Responsabilidade Fiscal, o BC foi proibido de emitir títulos públicos e passou a administrar a quantidade de dinheiro no sistema financeiro por meio da venda de títulos públicos, nas chamadas operações compromissadas.

Os depósitos voluntários seriam uma alternativa para o BC regular a quantidade de dinheiro na economia e, consequentemente, manter a taxa básica de juros na meta fixada pelo Copom (Comitê de Política Monetária).

Segundo Hasselmann, o depósito voluntário e remunerado é “mais uma ferramenta de que pretende dispor o Banco Central do Brasil para colocar em prática a sua política monetária.”

"O Banco Central não precisa simplesmente tirar do cardápio essa operação compromissada. Não. Ela vai estar lá, mas obviamente é muito mais inteligente, do ponto de vista do cuidado com o que é público e do combate à dívida pública, trabalhar com esse outro tipo de gerenciamento da liquidez", indicou. "O Banco Central com esse projeto ganha esse instrumento poderoso para cumprir o seu papel de fato, que é gerenciar a liquidez bancária."

O texto, do senador Rogério Carvalho (PT-SE), determina que a remuneração dos depósitos será estabelecida pelo Banco Central.

O projeto indica que o BC apresentará, nas audiências públicas ordinárias da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, informações sobre o acolhimento dos depósitos a prazo das instituições financeiras.

Além disso, a autoridade monetária vai divulgar semestralmente demonstrativo de depósitos voluntários das instituições financeiras e terá que prestar contas trimestralmente ao Congresso, em forma a ser regulamentada, sobre as operações realizadas com depósitos voluntários remunerados das instituições financeiras.

Remuneração, limites, prazos, formas de negociação e outras condições para o acolhimento dos depósitos a prazo das instituições financeiras serão regulamentados pelo Banco Central.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos