Mercado fechará em 2 h 15 min
  • BOVESPA

    107.219,51
    +1.177,03 (+1,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.028,53
    +123,47 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    42,96
    +0,54 (+1,27%)
     
  • OURO

    1.830,80
    -41,60 (-2,22%)
     
  • BTC-USD

    18.163,82
    -290,93 (-1,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    358,22
    -3,21 (-0,89%)
     
  • S&P500

    3.557,28
    -0,26 (-0,01%)
     
  • DOW JONES

    29.382,83
    +119,35 (+0,41%)
     
  • FTSE

    6.347,71
    -3,74 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    26.486,20
    +34,66 (+0,13%)
     
  • NIKKEI

    25.527,37
    -106,93 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.824,00
    -81,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4366
    +0,0567 (+0,89%)
     

Câmara aprova MP que cria crédito para pagar salários e amplia Pronampe

Marcelo RIbeiro e Raphael Di Cunto
·2 minuto de leitura

O texto segue agora para sanção presidencial A Câmara dos Deputados concluiu nesta quarta-feira a análise da Medida Provisória (MP) 944, que institui o Programa Emergencial de Proteção ao Emprego (Pese) com crédito para que micro e pequenas empresas possam pagar salários durante a pandemia. Diante do acordo de todos os parlamentares para a aprovação do texto, a votação foi simbólica. O texto segue para sanção presidencial. Após acordo entre o relator Zé Vitor (PL-MG) e o governo, os deputados acataram a mudança feita pelos senadores para direcionar parte dos recursos desse plano para o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). O Pronampe inicialmente tinha previsão de R$ 18 bilhões, mas o dinheiro já foi todo emprestado. O Senado aprovou emenda para que R$ 12 bilhões do Pese reforcem a linha para micro e pequenas empresas. Os deputados reverteram uma mudança feita pelo Senado e elevaram o faturamento das empresas que poderão recorrer à linha de crédito do Pese para pagar salários. A Câmara já tinha aprovado o aumento de R$ 10 milhões do faturamento para R$ 50 milhões, mas o Senado voltou a limitar o acesso ao cortar parte dos recursos. Hoje, os deputados optaram pela ampliação. Além disso, os deputados retiraram a exigência de a empresa ter toda a folha de pagamentos bancarizada, ou seja, as empresas precisarão apenas se comprometer a efetuar o pagamento do salário de seus funcionários por meio de transferência bancária. A MP 944 cria uma linha de crédito para pagar salários, com o compromisso de que as empresas terão que manter seus funcionários por igual período. Pela proposta aprovada na Câmara, o crédito poderá bancar até quatro meses da folha de salários e também o pagamento de ações trabalhistas de até R$ 15 mil.