Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.235,76
    +1.584,71 (+1,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.823,97
    +582,16 (+1,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,54
    +1,04 (+1,15%)
     
  • OURO

    1.807,20
    -5,10 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    23.677,08
    +570,47 (+2,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    558,05
    +26,83 (+5,05%)
     
  • S&P500

    4.210,24
    +87,77 (+2,13%)
     
  • DOW JONES

    33.309,51
    +535,10 (+1,63%)
     
  • FTSE

    7.507,11
    +18,96 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    19.610,84
    -392,60 (-1,96%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.383,75
    +352,25 (+2,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2371
    +0,0044 (+0,08%)
     

BV Asset aposta em curva inclinada com alta final de 0,25 pp

(Bloomberg) -- O aumento da inclinação da curva de juros futuros está entre as apostas dos fundos de renda fixa e multimercados da BV Asset com a proximidade do fim do aperto pelo Banco Central.

A gestora projeta que o Copom elevará a Selic em 0,25 ponto percentual, dose mais suave do que a hoje precificada pelo mercado, encerrando o aperto com taxa de 13,50% em agosto.

“Claro que o Copom está dependente dos dados até a próxima reunião, mas é certo que o juro já está relativamente restritivo”, diz Luiz Armando Sedrani, diretor de investimentos da gestora do Banco BV. “Estamos obviamente perto do fim do ciclo e isso deveria fazer a curva ganhar inclinação.”

Segundo Sedrani, não apenas pela condução da política monetária, mas pelo aumento dos riscos fiscais a diferença entre os juros longos -- mais associados às apostas do mercado sobre a trajetória da dívida pública -- e os curtos -- ligados ao cenário de política monetária -- deveria subir.

A estratégia em juros da gestora está focada na “barriga” e na parcela longa da curva, tentando se aproveitar do aumento da diferença entre as taxas de cinco e três anos. Já para tentar captar apostas em corte de juros, a BV Asset também opera com posição que ganha com a queda da taxa de três anos.

No exterior, a gestora voltou a montar na semana passada uma posição tomada de tamanho pequeno em juros de dez anos nos Estados Unidos. A BV Asset tinha chegado a zerar a posição em juros internacionais, com menor assimetria de alta para as curvas globais após a forte elevação de taxas ocorrida em meio à reorientação mais hawkish do Federal Reserve, afirma Sedrani.

Na estratégia de câmbio, a aposta é no enfraquecimento do dólar na comparação com moedas do G-10, como libra, dólar australiano e dólar canadense. A gestora também faz uma aposta pequena vendida em dólar contra real, segundo o gestor. “Achamos que moedas ligadas a commodities e com um ciclo monetário avançado podem se beneficiar.”

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos