Mercado fechará em 2 h 51 min
  • BOVESPA

    110.902,79
    -2.680,22 (-2,36%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.017,08
    -581,45 (-1,13%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,77
    -0,68 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.738,20
    -13,80 (-0,79%)
     
  • BTC-USD

    41.310,48
    -1.806,82 (-4,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.018,38
    -38,77 (-3,67%)
     
  • S&P500

    4.352,46
    -90,65 (-2,04%)
     
  • DOW JONES

    34.305,55
    -563,82 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.759,75
    -435,00 (-2,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3531
    +0,0463 (+0,73%)
     

Busca-se engenheiros e mais: como o RH da VTEX seleciona seus talentos de TI

·10 minuto de leitura

Não é exatamente uma novidade que as empresas mundo afora estão disputando a tapa profissionais de tecnologia. Apenas no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), até 2024, 421 mil postos de trabalho serão criados no setor no país. No entanto, os cursos superiores da área formam menos de 50 mil profissionais da área anualmente. Ou seja, falta (muita) gente nesse mercado.

Por isso, as empresas precisam ser cirúrgicas na hora de atrair talentos para os seus quadros. E isso envolve não apenas oferecer bons salários e benefícios, mas também planejamento na contratação, o que envolve um alinhamento entre as áreas de TI e Recursos Humanos. E, nesse último, o setor exige cada vez mais profissionais com conhecimentos específicos para que a seleção de candidatos seja certeira.

E é aí que entra o Tech Recruiter, um profissional de RH especializado na contratação de talentos para a área de Tecnologia. Este especialista consegue entender não apenas as chamadas soft skills, mas também as hard skills (conhecimentos específicos em TI), para que o candidato esteja alinhado com os projetos de transformação digital da companhia.

E para explicar como funciona o processo de contratação de profissionais para sua área de TI, o Canaltech estreia uma seção onde conversará semanalmente com Tech Recruiters das maiores empresas do Brasil, além de startups. No papo, eles explicarão como todo processo é realizado, quais os perfis mais buscados e como essas companhias atraem — e retêm —esses talentos.

E nós conversamos com Giovanna Cardoso, Lead Tech Recruiter na VTEX, uma das maiores plataformas de comércio digital para grandes empresas e varejistas do Brasil.

Giovanna Cardoso, Lead Tech Recruiter na VTEX (Foto: Divulgação / VTEX)
Giovanna Cardoso, Lead Tech Recruiter na VTEX (Foto: Divulgação / VTEX)

Confira como foi o papo, prepare seu currículo e mãos à obra!


Canaltech - Atualmente, como está o ritmo de contratações de profissionais de TI pela VTEX? A empresa tem planos de crescimento na área para os próximos meses?

Giovanna Cardoso: Ao mesmo tempo em que o time de Engenharia está crescendo como nunca, a cultura de contratação na VTEX é muito mais sobre qualidade do que sobre quantidade. Focamos em construir um processo efetivo para identificar e encantar engenheiros e engenheiras de software talentosos que estejam alinhados com a nossa visão de futuro E escalar esse processo foi uma consequência natural.

Pretendemos continuar contratando bastante até o final do ano. Hoje temos várias vagas de Engenharia abertas no nosso site de carreiras e novas demandas surgem todos os dias. Há também vagas para outros profissionais da área de produto, como designers de produto e gerentes de produto. As vagas são, principalmente, para as nossas operações no Rio de Janeiro, Curitiba e João Pessoa, aqui no Brasil, e para a operação de Lisboa, em Portugal.

CT - Ao iniciar o processo de contratação de profissionais de TI, como é feito o planejamento entre o RH e a área de Tecnologia da VTEX? Que informações são trocadas entre os dois setores?

G.C.: O nosso time, que na VTEX se chama Workforce Expansion, é responsável por fornecer conhecimento, ferramentas e suporte para que a área de tecnologia possa construir seu plano de capacidade de acordo com nosso roadmap estratégico do ano. No entanto, na VTEX, sempre dizemos que a contratação é uma tarefa de todos, e essa lógica acaba sendo usada também para atração, seleção e retenção.

Os Tech Recruiters trabalham bem próximos dos Hiring Managers - papel ocupado por Diretores de Engenharia e de Produto da VTEX - em todo o fluxo. No nosso entendimento, é necessária uma parceria entre recrutadores e gestores para que as contratações sejam realmente bem-sucedidas. Nesse processo, trocam-se diversas informações e o objetivo é que ambas as partes estejam alinhadas em torno de um objetivo comum, concordem sobre prioridades e expectativas e se sintam confortáveis trabalhando juntas e dando feedback umas às outras. Isso permite que um recrutador realmente entenda as necessidades do gestor; e que este último entenda a complexidade e o comprometimento necessários para uma contratação de sucesso.

CT - Que conhecimentos o profissional de RH da VTEX hoje tem para selecionar profissionais de TI para os quadros da empresa? Ele tem acesso a algum tipo de curso para poder selecionar com mais propriedade para essa área?

G.C.: O nosso time tem bastante autonomia para buscar conhecimento e chegamos a experimentar alguns cursos, mas o que realmente funciona e forma especialistas em Tech Recruiting é mergulhar no dia a dia dos times de Engenharia: conversar com as pessoas, acompanhar reuniões, fazer muitas - muitas mesmo - perguntas. Temos a sorte de que a cultura da VTEX é muito colaborativa e a Engenharia fica super feliz de compartilhar conhecimento com o nosso time.

Temos, toda semana, um grupo de estudos em que conversamos sobre conteúdos técnicos que lemos e conversamos com algum convidado dos times de Engenharia e Produto para aprender e tirar dúvidas sobre o que aquela pessoa faz. Quando eu entrevisto pessoas para o time, geralmente busco curiosidade e interesse genuínos por tecnologia e inovação, e fico muito feliz de ver que o nosso time sabe muito e ainda aprende todos os dias.

CT - E o que a VTEX busca hoje, de forma geral, em um profissional de TI? A empresa prefere investir em um profissional mais preparado ou opta por alguém que possa ser moldado dentro da companhia?

G.C.: Buscamos engenheiros e engenheiras que sejam fascinados por resolver problemas complexos e em escala global, e que se empolguem em construir a VTEX do futuro. Temos dois programas voltados para a formação de Early Careers em Engenharia, o Internship e o VTEX Lab, e hoje uma parcela bem grande do time veio de algum deles.

Enquanto isso, nos processos seletivos padrão, investimos em contratar engenheiros e engenheiras mais experientes para mantermos um equilíbrio saudável entre a quantidade de mentores e de mentorados na estrutura organizacional.

CT - De forma geral, como funciona o processo seletivo de um profissional da área de Tecnologia na VTEX? Por quantas etapas o candidato passa antes de ser contratado?

G.C.: Embora tenhamos uma estrutura de processo seletivo padrão, ela pode variar bastante de acordo com o candidato e a posição. As etapas são definidas com base na experiência de cada candidato, para que eles possam também conhecer mais sobre a cultura e a dinâmica da VTEX.

Nosso objetivo é criar um processo que facilite que os candidatos adquiram um conhecimento aprofundado sobre nossa empresa, para que possam tomar decisões estando mais bem informados; além de permitir que os Hiring Managers possam avaliar diversos aspectos e se sintam confiantes de que a contratação será positiva para seus times e para a VTEX.

O processo padrão consiste em três etapas, que podem conter uma ou duas entrevistas em cada uma. As etapas são: Screening, Technical Interviews e Final Interviews. Dessa forma, o processo pode envolver entre três e seis entrevistas no total.


CT - Como a VTEX vem lidando com a escassez de profissionais de TI no mercado? Quais os cuidados a empresa vem tomando para acertar no perfil do profissional contratado?

G.C.: Em 2020, o Geraldo Thomaz, fundador e co-CEO da VTEX, declarou: nós não vamos nos queixar de falta de talento. Nós vamos produzir, treinar, capacitar e incentivar o pool de talentos que precisamos para nos tornar a empresa que queremos ser. Talento é o principal recurso em escassez em nosso mercado hoje, e acreditamos que se as empresas não tomarem para si a responsabilidade de investir em educação, haverá uma desaceleração da digitalização mundial.

Ou seja, a VTEX decidiu se posicionar proativamente para solucionar esse desafio, se colocando como uma aceleradora de jovens talentos em tecnologia. E não queremos fazer isso somente para atender às nossas necessidades, mas para todo o ecossistema de Digital Commerce, todas as agências e parceiros que trabalham conosco e com o nosso produto. A última edição do Hiring Coders, um programa educacional de programação gratuito e sem pré-requisitos, teve 10 mil bolsistas, que depois puderam ser contatados e entrevistados pelos nossos parceiros.

Quanto à contratação de engenheiros e engenheiras mais experientes, para garantir a assertividade do nosso processo, contamos com a participação do time de Engenharia em praticamente todas as etapas. Hoje temos cerca de 25% dos engenheiros capacitados para conduzir ao menos um tipo de entrevista, além dos que contribuem com sourcing e dos Diretores de Engenharia, que formam conosco um comitê de decisão e deliberam sobre os candidatos e candidatas.

Trabalhamos, também, para fomentar a diversidade e inspirar novas gerações de líderes no mercado de tecnologia, a partir não só dos grupos de afinidades formados e organizados pelos próprios funcionários da VTEX, mas também por programas de capacitação e mentoria, como o Tech Women Bootcamp, iniciativa destinada a mulheres desenvolvedoras, cis ou trans, com o objetivo de prepará-las para futuras vagas em Engenharia de Software. Há também o Black Tech Writer, um curso online gratuito e exclusivo para profissionais negros, com o objetivo de disseminar o conhecimento sobre Technical Writing no Brasil e incentivar a diversidade nas equipes de tecnologia.


CT - E como a VTEX trabalha com a retenção de talentos em uma área tão disputada e onde o índice de turnover é considerado alto?

G.C.: A VTEX construiu um plano de carreira que permite a exploração e a construção de forma fluida e não-linear, em que o desenvolvimento do profissional se dá através do aumento do seu impacto. Também acreditamos que gerentes e contribuidores individuais são igualmente importantes; dessa forma, uma pessoa não precisa se tornar gerente para ser reconhecida e crescer na carreira, ela pode seguir se especializando tecnicamente e aumentar seu impacto por isso. Temos ciclos de avaliação de performance a cada 6 meses, em que todo o time de Engenharia é avaliado e considerado para possíveis aumentos de salário, promoções, e também para receber incentivos de longo prazo, como receber ações da empresa.

Além disso, a VTEX está expandindo sua atuação globalmente, e recentemente abriu capital na bolsa de valores de Nova Iorque (NYSE), o que gera uma série de oportunidades para seus colaboradores. Nesse contexto, buscamos continuamente engajar nosso time a seguir tornando nossa plataforma cada vez mais performática, escalável, conectada, e completa, de forma que possamos seguir sendo a espinha dorsal do comércio digital para grandes marcas e varejistas, como já somos atualmente para mais de 2 mil clientes, que têm conosco mais de 2.500 lojas onlines ativas em 32 países.


CT - Com o trabalho remoto ampliado devido à pandemia de Covid-19, abriu-se espaço para que as empresas contratem profissionais de todas as partes do país. A VTEX trabalha com esse modelo de Anywhere Office? Em caso positivo, ela vale também para profissionais do exterior ou fica restrito ao Brasil?

G.C.: Sim, trabalhamos com esse modelo no Brasil e em Portugal, onde ficam concentrados nossos times de Engenharia e Produto, e o trabalho remoto tem funcionado muito bem. Em fevereiro de 2020, reunimos um grupo heterogêneo de profissionais e toda a liderança global da VTEX para desenvolver uma declaração de futuro, com a qual toda a empresa se compromete.

Neste compromisso, estabelecemos o objetivo de sermos "remote first", operando a partir de um conjunto de práticas e princípios que tornam o nosso time mais poderoso, tanto na forma de nos comunicarmos quanto na remoção de barreiras para termos a pessoa certa, na posição certa, trabalhando naquilo em que ela traz uma contribuição única e com o qual ela tem um compromisso extraordinário.

Todos os processos, a comunicação e a cultura da VTEX passaram a ser desenhados a partir da presunção de que todo funcionário é remoto, mesmo que ele não seja. Isso nos ajuda a desenvolver uma cultura prioritariamente focada em documentação e comunicação assíncrona, para que todos estejam alinhados e informados de casa ou no escritório.


CT - Hoje, qual a remuneração média oferecida pela VTEX nos níveis Júnior, Pleno e Sênior em sua área de TI? Os colaboradores também têm pacote de benefícios?

G.C.: Não divulgamos nossas faixas salariais externamente, mas posso dizer que nos preocupamos em fazer propostas interessantes, justas e condizentes com as melhores práticas do mercado.

Como benefícios, temos: plano de saúde, plano odontológico, vale alimentação/refeição, auxílio creche, licença maternidade e paternidade estendidas, auxílio para uso de academias, auxílio financeiro para montar um home office e o VTEX Care, um programa global de apoio ao funcionário e seus familiares, focado em quatro pilares – Orientação Psicológica, Social, Financeira e Jurídica –, disponível para acesso no portal exclusivo e gratuito, por telefone e e-mail.


E a VTEX está com diversas vagas abertas. Acesse a página de carreiras da empresa, veja quais oportunidades se encaixam em seu perfil profissional e boa sorte!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos