Mercado fechará em 3 h 42 min
  • BOVESPA

    108.837,75
    +1.458,83 (+1,36%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.663,89
    +396,69 (+0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,73
    +1,67 (+3,88%)
     
  • OURO

    1.801,90
    -35,90 (-1,95%)
     
  • BTC-USD

    19.337,27
    +885,30 (+4,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    381,13
    +11,38 (+3,08%)
     
  • S&P500

    3.610,19
    +32,60 (+0,91%)
     
  • DOW JONES

    29.967,65
    +376,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    6.421,47
    +87,63 (+1,38%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    11.928,75
    +23,50 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4022
    -0,0381 (-0,59%)
     

Busca das empresas por crédito cai 3,3% em setembro, diz Serasa Experian

·1 minuto de leitura

A busca das empresas por crédito registrou baixa de 3,3% em setembro deste ano, quando comparada com o mesmo mês de 2019, a terceira queda consecutiva, segundo o Indicador de Demanda das Empresas por Crédito, da Serasa Experian. Ainda na análise interanual, o recorte por região mostra que o Sudeste lidera a retração, com queda de 7,3%, seguido pelo Sul, que apresentou declínio de 1,2%. Já o Centro-Oeste (1,0%), Norte (5,2%) e Nordeste (1,4%) apresentaram números positivos na procura das empresas por crédito. Todos os portes de negócios registraram queda, principalmente as micro e pequenas empresas, com declínio na procura por crédito de 3,4%. Em seguida estão as médias (-3,3%) e grandes (-1,2%). De acordo com o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, a nova queda reflete a insegurança do empresário com o cenário político-econômico. “A sensação de incerteza sobre as reformas administrativas e tributárias costuma deixar os donos de negócios mais cautelosos. O que muitas das vezes pode levar ao adiamento da busca por crédito”, explica. Feita a análise ano a ano por segmento, a indústria ganha destaque entre os setores com a maior baixa do mês, e logo após aparecem as áreas de serviços e comércio. A análise mensal – setembro x agosto 2020 – traz uma variação positiva, com crescimento de 2,5%. Os segmentos de comércio e serviços também registraram alta de 2,5% cada, enquanto a Indústria teve aumento de 1,6%.