Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.601,71
    -658,04 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.253,27
    -454,45 (-1,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    38,59
    -1,26 (-3,16%)
     
  • OURO

    1.905,70
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    12.966,50
    -183,53 (-1,40%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,06
    -5,36 (-2,03%)
     
  • S&P500

    3.383,56
    -81,83 (-2,36%)
     
  • DOW JONES

    27.534,81
    -800,76 (-2,83%)
     
  • FTSE

    5.792,01
    -68,27 (-1,16%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.494,34
    -22,25 (-0,09%)
     
  • NASDAQ

    11.448,00
    -215,50 (-1,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6422
    -0,0217 (-0,33%)
     

Busca de consumidor por crédito em agosto sobe pela 1ª vez em seis meses, diz Serasa Experian

·2 minutos de leitura

O Indicador de Demanda do Consumidor por Crédito mostra que houve uma alta de 0,7% na procura por crédito em agosto de 2020 Marcos Santos/USP Imagens O Indicador de Demanda do Consumidor por Crédito da Serasa Experian mostra que houve uma alta de 0,7% na procura por crédito em agosto de 2020 frente ao mesmo mês do ano passado. Este foi o primeiro avanço interanual na demanda por crédito após seis quedas seguidas. A região Sudeste foi a que apresentou maior expansão na procura por crédito, de 2,8%, seguida de Sul, com alta de 0,4%. Já as regiões Centro-Oeste (-6,4%), Nordeste (-0,6%) e Norte (-0,5%) apresentaram retração na demanda. Todas essas variações referem-se a agosto de 2020 perante agosto de 2019. De acordo com o economista Luiz Rabi, da Serasa Experian, essa alta confirma que os impactos do isolamento social na procura por crédito ficaram para trás. “Esse avanço é muito importante e significa que o pior já passou, estamos retornando aos níveis anteriores a essa crise. As pessoas estão buscando crédito para renegociar dívidas e para investir, como por exemplo, em imóvel. Com a queda da taxa de juro, elas não só querem renegociar dívida, como também buscam melhores opções de investimentos e, nesse sentido, a aquisição de imóvel se torna uma boa opção”, avalia. Quando considerado por faixa de renda, o indicador mostra que houve apenas uma queda, entre os consumidores que ganham até R$ 500,00, o que corrobora a percepção do economista. A maior alta foi verificada entre os que ganham de R$ 2 mil a R$ 5 mil. Na comparação mensal houve recuo de 1,9%. Por região, o Norte registrou a maior queda na demanda, de 5,6%, seguido de Nordeste (-3,0%) e Sudeste (-2,7%). Já Centro-Oeste e Sul apresentaram alta de 1,9% e 0,8%, respectivamente.