Mercado fechado

Bunge vê lucro ajustado quase dobrar no trimestre e melhora projeções para o ano

·2 minuto de leitura

(Reuters) - O grupo de commodities agrícolas Bunge registrou um aumento de 91% no lucro trimestral ajustado, informou a companhia nesta quarta-feira, com fortes margens de processamento de soja e uma demanda robusta por ração animal e óleos vegetais impulsionando seus resultados no setor de agronegócio.

A Bunge melhorou as projeções de lucro para o ano, pelo segundo trimestre consecutivo, ao prever um lucro em 2020 de entre 6,25 e 6,75 dólares por ação. A companhia citou resultados melhores que o esperado no agronegócio e um horizonte mais favorável para sua unidade de óleos apesar da pandemia de coronavírus.

"Olhando para o próximo ano, nós esperamos que muitas tendências favoráveis continuem, com a demanda por nossos produtos continuando forte. Nós também esperamos demanda global adicional por óleos vegetais a partir do crescimento dos biocombustíveis", disse o presidente-executivo, Greg Hackman.

Comerciantes de grãos como a Bunge e suas rivais Archer Daniels Midland, Cargill e Louis Dreyfus, conhecidas como "ABCD" dos grãos, enfrentaram contratempos com a pandemia devido ao fechamento de restaurantes e redução em viagens, que impactaram a demanda por alimentos e combustível.

Mas elas enfrentaram a crise melhor que outras indústrias, e a Bunge disse que suas fábricas continuaram a operar perto dos níveis normais.

Os ganhos do agronegócio mais que dobraram, para 467 milhões de dólares, com margens robustas na América do Sul, Europa e Ásia mais que compensando resultados mais fracos nos EUA. Vendas ativas de grãos por fazendeiros na América do Sul e preços em alta também ajudaram nos resultados da unidade, a maior da Bunge.

Os óleos comestíveis tiveram um desempenho melhor do que o esperado, embora os resultados tenham caído na comparação anual.

O lucro líquido atribuível à Bunge no terceiro trimestre encerrado em 30 de setembro foi de 262 milhões de dólares, ou 1,84 dólar por ação, em comparação com prejuízo de 1,49 bilhão de dólar, ou 10,57 dólares por ação, um ano antes, quando a Bunge teve baixas contábeis de cerca de 1,7 bilhão de dólares.

Em uma base ajustada, a Bunge registrou lucro de 2,47 dólares por ação, acima dos 1,28 dólares por ação do ano anterior.

As vendas líquidas caíram 1,6% para 10,16 bilhões de dólares.

(Por Karl Plume em Chicago e Arunima Kumar em Bangalore)