Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.589,81
    +139,17 (+0,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,75
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

Bumble cria recursos que detecta nudes explícitas

Recurso foi implementado ao Bumble após mudanças na legislação dos EUA (Getty Image)
Recurso foi implementado ao Bumble após mudanças na legislação dos EUA (Getty Image)
  • Bumble implementa recurso que detecta o envio de imagens obscenas;

  • Aplicativo adotou o Private Detector após mudança na legislação norte-americana;

  • Plataforma ainda permite que a mulher inicie a conversa após o match.

Um dos riscos de usar aplicativos de namoro é se deparar com fotos de partes íntimas não solicitadas. Para diminuir a incidência dessas situações desagradáveis, o Bumble criou um recurso que detecta imagens consideradas obscenas.

O Private Detector notifica o usuário toda vez que que uma nude é enviada, concedendo as opções de visualizar, excluir ou denunciar a foto.

Atualmente, o código-fonte do Private Detector está disponível no GitHub, uma plataforma colaborativa que hospeda códigos-fonte. Dessa forma, outros desenvolvedores conseguem implementar o recurso de segurança nas plataformas. Para ter acesso aos arquivos, basta acessar o site oficial da função.

O recurso ficou famoso depois de um projeto de lei que transformou o envio de fotos obscenas não solicitadas em uma ofensa punível no estado do Texas, Estados Unidos.

Com a regulamentação, o Bumble implementou o Private Detector e passou a defender leis semelhantes nos EUA e no mundo. Quando é enviada uma fotografia que pode ser explícita, a miniatura que surge na conversa é censurada e o destinatário é questionado sobre se quer ver o conteúdo, bloqueá-lo ou reportar o remetente.

“Em 2019 lideramos o projeto desenvolvendo o Private Detector e adotamos uma postura clara contra o assédio online. Abrir esse recurso é permanecer firme em nossa convicção de que todos merecem relacionamentos saudáveis e justos, interações respeitosas e conexões gentis online”, explicou Rachel Haas, vice-presidente de segurança de membros da Bumble.

Oaplicativo ainda conta com função para evitar ghosting e oferece às mulheres o poder exclusivo de dar o primeiro passo após a combinação na plataforma.