Bukele afirma que El Salvador está há 365 dias sem homicídios

(Dez/2022) Soldados patrulham San Salvador contra a violência de gangues
(Dez/2022) Soldados patrulham San Salvador contra a violência de gangues

O presidente Nayib Bukele, que mantém uma "guerra" com grupos criminosos violentos, afirmou, nesta quinta-feira (11), que El Salvador soma 365 dias sem homicídios desde que ele iniciou seu mandato, em 2019.

"Encerramos o dia 10 de maio de 2023 com 0 homicídio em nível nacional. Com este, são 365 dias sem homicídios - um ano inteiro", afirmou Bukele, no Twitter. Uma fonte da Secretaria de Comunicação da Presidência explicou à AFP que o dado se refere à "somatória dos dias sem homicídios desde 2019 até o momento".

Bukele assumiu o poder para um mandato de cinco anos em 1º de junho de 2019. Naquele ano, o país registrou 38 homicídios por 100.000 habitantes, tendência que continuou em queda. O ano de 2022 terminou com 7,8 homicídios por 100.000 habitantes.

O ministro da Justiça e Segurança, Gustavo Villatoro, disse que os dias sem homicídios são "um marco histórico" e que a tarefa iniciada em 2019 "não foi fácil, mas, tampouco, impossível". No momento, não há estatísticas conhecidas de fontes independentes.

A Secretaria de Imprensa da Presidência afirmou que "El Salvador passou de país mais violento do mundo a mais seguro da América Latina" devido às "estratégias" promovidas por Bukele.

A redução dos homicídios ocorre no marco de uma "guerra" que Bukele declarou aos grupos criminosos há 13 meses, amparado em um regime de exceção que soma 68.294 supostos integrantes de gangues detidos.

O regime de exceção, que permite prisões sem mandado judicial, foi instituído em 27 de março de 2022, em resposta a uma escalada de homicídios por gangues que matou 87 pessoas de 25 a 27 de março de 2022.

Criticado por diferentes organizações de defesa dos direitos humanos, o regime foi sendo prorrogado mensalmente. A última prorrogação expira no próximo dia 16.

cmm/gm/lb/mvv