Mercado fechará em 4 h 54 min
  • BOVESPA

    112.343,95
    +465,42 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.674,83
    +779,20 (+1,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,15
    -0,13 (-0,29%)
     
  • OURO

    1.841,00
    +10,80 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    19.319,80
    +370,55 (+1,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,73
    +14,81 (+4,06%)
     
  • S&P500

    3.669,01
    +6,56 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    29.883,79
    +59,87 (+0,20%)
     
  • FTSE

    6.464,95
    +1,56 (+0,02%)
     
  • HANG SENG

    26.728,50
    +195,92 (+0,74%)
     
  • NIKKEI

    26.809,37
    +8,39 (+0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.472,50
    +18,25 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2903
    -0,0295 (-0,47%)
     

Bugatti Bolide é supercarro de 1.850 cv feito para superar os 500 km/h

br.info@motor1.com (Dyogo Fagundes)
·3 minuto de leitura
Bugatti Bolide
Bugatti Bolide

Conceito pensado especialmente para as pistas é o mais radical já feito pela marca

Depois de criar expectativa com teasers e chamadas misteriosas, a Bugatti finalmente oficializa a apresentação de seu mais novo projeto: o Bolide. Descrito como o modelo mais radical já desenvolvido pela marca, o supercarro foi projetado especialmente para competições e estreia como resposta direta à pergunta: e se Bugatti construísse um veículo radicalmente leve em torno do icônico motor 8.0 W16?

Ao todo, o carro entrega 1.850 cv de potência e pesa apenas 1.240 kg, o que lhe rende uma extraordinária relação peso-potência de 0,67 kg/cv! Dados de fábrica indicam ainda velocidade máxima superior a 500 km/h, com aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 2,17 segundos, de 0 a 300 km/h em somente 7,37 segundos e de 0 a 500 km/h em incríveis 20,16 segundos.

O currículo ostenta ainda tempos recordes em circuitos famosos, como 3:07,1 minutos em Le Mans e apenas 5:23,1 minutos em Nordschleife (mas são apenas simulações, neste caso). Quer mais números? A Bugatti destaca altura total de apenas 995 milímetros, 2,75 metros de distância entre-eixos e cerca de 2 metros de largura. O interior é típico de carros de corrida e oferece espaço para dois ocupantes, com acesso por portas que se abrem na diagonal.

“Queríamos saber como poderíamos apresentar o enorme motor W16 como o símbolo técnico da marca em sua forma mais pura - com apenas quatro rodas, o motor, a caixa de câmbio, o volante e, como único luxo, dois assentos. Foi importante em nossas deliberações ajustar nosso icônico motor sem qualquer limitação na relação peso/potência. O Bugatti Bolide nasceu dessa ideia", disse o chefe da marca, Stephan Winkelmann.

Leia também:

Na mecânica, o poderoso motor 8.0 W16 de 1.850 cv e 188,6 kgfm de torque recebeu ajustes para uso em corridas de circuito, incluindo mudanças nos sistemas de admissão e escape para otimização da capacidade de resposta. Além disso, os quatro turbocompressores recém-desenvolvidos foram ajustados para entregar melhor performance em rotações mais altas. O sistema de lubrificação também foi totalmente revisto, incluindo circuito, válvulas e defletores.

Para atingir o peso de apenas 1.240 kg, os engenheiros adotaram materiais e processos de produção inovadores. Neste sentido, destaque para os parafusos e elementos de conexão - todos inteiramente feitos de titânio. A própria liga de titânio, herdada da indústria aeroespacial, também está presente em diversos outros elementos que demandam alta resistência e baixo peso, como partes do para-lama.

Bugatti Bolide
Bugatti Bolide
Bugatti Bolide
Bugatti Bolide
Bugatti Bolide
Bugatti Bolide
Bugatti Bolide
Bugatti Bolide

Como na Fórmula 1, o Bolide é equipado com freios de corrida com discos e pastilhas de cerâmica, além de pinças que pesam apenas 2,4 kg cada. As rodas de magnésio forjado pesam 7,4 kg cada na frente e 8,4 kg cada na traseira. No quesito segurança, a Bugatti destaca que foram seguidos todos os regulamentos da FIA em termos de construção e equipamentos. Isso inclui sistema automático anti-incêndio, dispositivo de reboque, reabastecimento pressurizado, travamento central das rodas, vidros laterais de policarbonato e cinto de segurança de seis pontos.

Assim como em outros veículos Bugatti, a equipe de design optou por um esquema específico de pintura. Dessa forma, apenas 40% das superfícies da carroceria são pintadas, sendo os demais 60% visíveis de fibra de carbono. Até o momento, porém, a marca ainda não decidiu se produzirá o modelo em série.

Fotos: Divulgação