Mercado fechado

Bruno Henrique, do Flamengo, fala sobre processo movido por torcedora contra ele: 'Tentativa de se promover financeiramente'

·2 min de leitura

O atacante Bruno Henrique, do Flamengo, se manifestou publicamente sobre o processo movido na Justiça contra ele por uma torcedora que se diz proprietária dos direitos do termo "Ôto Patamá" (Outro patamar). Por meio de uma nota oficial, o atleta se disse tranquilo em relação ao caso e lamentou a tentativa, por parte de uma outra pessoa, de capitalizar às custas de um termo popularizado por ele.

Segundo Bruno, seu estafe já está lidando com a situação com a devida assessoria jurídica. Ele lembrou que em duas instâncias diferentes a liminar que tentativa suspender o uso da expressão por sua marca de roupas foi indeferida.

Confira a nota na íntegra:

"Após a repercussão massiva na imprensa acerca de uma suposta disputa judicial pela marca "Ôto Patamá", venho por meio deste comunicado esclarecer alguns pontos.

Meu estafe, assessorado juridicamente, tomou a frente desta ação instrumentalizada por uma pessoa que busca se favorecer de uma expressão popularizada por mim e eu sigo tranquilo, focado exclusivamente em minha recuperação para voltar aos gramados o mais brevemente possível.

Em segundo lugar, vale ressaltar que fui pego completamente de surpresa e lamento profundamente a tentativa desta pessoa de se utilizar e se promover financeiramente a partir de uma expressão que se popularizou nas redes sociais após uma entrevista minha durante um clássico em 2019.

Por duas oportunidades e em duas instâncias diferentes, a Justiça indeferiu o pedido de liminar desta pessoa que visava suspender meu direito de uso da expressão de minha própria autoria.

Aproveito a oportunidade para reforçar que estamos respaldados juridicamente eseguiremos com nossas atividades comerciais sem nenhuma intercorrência. A BH27, com muito trabalho e diária dos envolvidos, vem conquistando seu espaço no ramo de vestuário e seguirá desenvolvendo novas coleções e produtos com meu apoio e incentivo".

Uma torcedora rubro-negra chamada Josineide Constantino Dantas move uma ação em que pede R$ 13 milhões de indenização de Bruno Henrique. O motivo é o uso da frase “Otô Patamá” (“outro patamar”), pois ela registrou a marca no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).

A frase se tornou popular entre a torcida do Flamengo, quando, em novembro de 2019, Bruno afirmou que o elenco rubro-negro estava em “outro patamar” após jogo contra o Vasco, pelo Campeonato Brasileiro. Josineide alega que a marca só pode ser explorada comercialmente por ela.

"[O atleta] tem se valido da marca da autora para obter lucros e subsídios comerciais", declarou ela à Justiça.

No processo, a própria Josineide afirmou que teve a ideia de fazer o registro no INPI depois de ter ouvido a entrevista do jogador, porque cogitou que seria um bom nome para uma marca de roupas esportivas.

Já ciente do processo que corre na 1ª Vara Empresarial e Conflitos de Arbitragem de São Paulo, Bruno Henrique alega ter aberto três pedidos de registros e que Josiane viola o direito à marca. Além disso, em agosto, enviou uma notificação a ela, afirmando que “de modo ardiloso, tenta pegar carona” na fama dele.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos