Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.667,78
    +440,32 (+0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.151,38
    -116,95 (-0,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,45
    +1,78 (+2,89%)
     
  • OURO

    1.804,00
    -1,90 (-0,11%)
     
  • BTC-USD

    48.839,24
    +752,04 (+1,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    978,84
    -36,07 (-3,55%)
     
  • S&P500

    3.925,43
    +44,06 (+1,14%)
     
  • DOW JONES

    31.961,86
    +424,51 (+1,35%)
     
  • FTSE

    6.658,97
    +33,03 (+0,50%)
     
  • HANG SENG

    29.718,24
    -914,40 (-2,99%)
     
  • NIKKEI

    29.671,70
    -484,33 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    13.314,00
    +122,00 (+0,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5705
    -0,0400 (-0,61%)
     

Bruno Covas decide estender programa de renda básica emergencial por mais três meses em SP

CAMILA MATTOSO
·1 minuto de leitura
*ARQUiVO* SAO PAULO/ SP, BRASIL,  01.01.2021 - Posse do prefeito eleito de são paulo, bruno covas (psdb) e dos 55 vereadores. na câmara municipal de sp -Coronavirus o COVID-19.  (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
*ARQUiVO* SAO PAULO/ SP, BRASIL, 01.01.2021 - Posse do prefeito eleito de são paulo, bruno covas (psdb) e dos 55 vereadores. na câmara municipal de sp -Coronavirus o COVID-19. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito Bruno Covas (PSDB) decidiu estender por mais três meses o pagamento do programa de renda básica emergencial do município.

A medida será oficializada nesta quinta-feira (4), em cerimônia na qual o tucano entregará aos vereadores o projeto de lei que trata da prorrogação do programa.

O texto terá que ser aprovado na Câmara Municipal para que o programa possa ser prolongado, mas o prefeito não deverá ter dificuldades em obter os votos necessários: 25 dos 55 vereadores fazem parte de sua base, e mesmo parlamentares de oposição devem apoiar a medida.

O programa destina R$ 100 mensais por pessoa de famílias beneficiárias do Bolsa Família, vendedores ambulantes, trabalhadores informais e outros prejudicados pela pandemia da Covid-19.

O governo federal ainda vive incerteza sobre a volta do pagamento do auxílio emergencial, com resistência do Ministério da Economia.

Em São Paulo, a prefeitura estima que o prolongamento do programa custará aproximadamente R$ 420 milhões.

Sancionado em novembro do ano passado por Covas, o programa foi inspirado no projeto de renda básica de cidadania idealizado pelo vereador Eduardo Suplicy (PT).